Acordo de Paris: o que é e qual é a contribuição do Brasil

  • Pedro Soares
    Pedro Soares
    14/01/2021 . min de leitura
Clipping.pills Acordo de Paris

A mudança do clima é um problema que, há anos, vem dando dor de cabeça aos países ao redor do mundo. Um de seus principais causadores, os gases do efeito estufa, estão sendo cada dia mais liberados na atmosfera.

Esses gases, que absorvem uma parte dos raios do sol e os redistribuem em forma de radiação na atmosfera, aquecem o planeta. E você já deve ter ouvido falar deles: CO2, CH4, N2O, O3, entre outros.

Felizmente, nem tudo está perdido. O Acordo de Paris, que entrou em vigor em 2016, pretende limitar o aumento da temperatura global a, pelo menos, 2ºC. Vamos entender um pouco mais sobre ele?

O que é o Acordo de Paris

É um tratado assinado em 2015, durante a COP 21 (Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2015), que estabeleceu um plano de ação para limitar o aumento da temperatura global a menos de 2ºC acima dos níveis pré-industriais, com o objetivo preferencial de 1,5ºC.

COP 21 - Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2015 e o Acordo de Paris

Para que o acordo entrasse em vigor, ele deveria ser ratificado por 55 países, que representavam 55% da emissão de gases do efeito estufa. Em 12 de dezembro de 2015 o acordo foi assinado, e em 4 de novembro de 2016, entrou em vigor.

Atualmente, 195 países assinaram e 147 ratificaram o tratado. O Brasil ratificou o tratado em 12 de setembro de 2016.

Objetivos do tratado

Além de conter o aumento da temperatura global, o acordo também tem como objetivo aumentar a adaptação aos impactos adversos das alterações climáticas e diminuir a produção de gases do efeito estufa de maneira que não ameace a produção de alimentos.

Foi reconhecido que os países emergentes terão mais dificuldades, por conta disso irão receber ajuda financeira e tecnológica dos países desenvolvidos, colaborando assim, na ampliação de suas propostas.

Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs)

O Acordo de Paris inovou, ao definir que cada nação apresentaria suas metas, voluntariamente. Nos acordos anteriores sobre mudanças climáticas, era comum que grupos de especialistas definissem as metas de cada país ou grupo de países.

Agora, cada país vai definir suas metas voluntárias, as NDCs, para alcançar os objetivos do acordo.

Ficou definido também que, a cada 5 anos, as propostas devem ser revisadas de forma voluntária, a fim de elevar suas metas e de buscar, o quanto antes, alcançar o principal objetivo do tratado.

Contribuição do Brasil para o Acordo de Paris

O Brasil é um dos poucos países em desenvolvimento a assumir uma meta absoluta de redução de emissões de gases do efeito estufa.

Para alcançar o objetivo, o país comprometeu-se com metas em duas grandes áreas: no setor energético e no setor do uso da terra e pecuária.

NDC brasileira

No geral, o Brasil busca dois objetivos:

  • Reduzir as emissões de gases do efeito estufa em 37% até 2025, e em 43% até 2030, tendo como base o nível de 2005;
  • Atingir a neutralidade climática, o que significa emissões líquidas nulas, em 2060.

Setor energético

Até 2030, o Brasil buscará:

  • Atingir participação de 66% da fonte hídrica na geração de eletricidade;
  • Alcançar 23% de participação de energias renováveis, excluída a energia hídrica, no fornecimento de energia elétrica;
  • Alcançar 10% de ganhos de eficiência no setor elétrico;
  • Aumentar a participação de bioenergia sustentável na matriz energética para aproximadamente 18%;
  • Aumentar a participação de fontes renováveis, excluída a energia hídrica, de 28% para 33%;
  • Alcançar uma participação estimada de 45% de energias renováveis na composição da matriz energética.

Setor do Uso da Terra e Pecuária

Até 2030, o Brasil buscará:

  • Acabar com o desmatamento ilegal;
  • Restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares de florestas;
  • Recuperar 15 milhões de hectares de pastagens degradadas;
  • Integrar 5 milhões de hectares de lavoura-pecuária-florestas.

Países fora do Acordo de Paris

Atualmente, o único país fora do Acordo de Paris é os Estados Unidos.

Com uma promessa de governo de Donald Trump, enviaram uma notificação de saída e se despediram do Acordo em 2020.

Joe Biden prometeu voltar. Vamos esperar as cenas dos próximos capítulos.

O Brasil pode sair do Acordo?

Durante sua campanha presidencial, o atual presidente Jair Bolsonaro, sempre demonstrou interesse em sair do tratado, ratificado em 2016. Após eleito, por conta de questões políticas, o presidente desistiu da ideia e o país continua sim fazendo parte do Acordo.

O que realmente aconteceu foi a desistência do Brasil de sediar a COP 25, em 2019. O presidente alegou falta de verbas para a organização do evento, que foi transferido para Santiago, no Chile.

No fim, por conta de agitações sociais que antecederam o encontro, o local foi novamente alterado, de modo que a COP foi realizada em dezembro de 2019, em Madrid, na Espanha.

E aí, o que achou do conteúdo? Conta pra gente aqui nos comentários! 🧡


  • Pedro Soares
    Pedro Soares

    Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!


Pedro Soares
Pedro Soares

Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!