CACD e Clio: o que vai mudar no concurso da Diplomacia?

  • Avatar
    Clipping
    12/10/2015 . 18 min de leitura

CACD e Curso Clio. Não tem como o assunto de hoje ser outro sobretudo depois do furo que o Clipping apurou junto à Secretaria do Clio. Uma mudança de amplitude gigantesca está para ser anunciada e merece toda nossa atenção. Entenda como a mudança a ser anunciada pelo Clio pode impactar a dinâmica do concurso de admissão à carreira diplomática.

0. Odiando amar ou amando odiar

Verdade seja dita: o Clio é aquele cursinho que de duas uma: ou você odeia amar ou você ama odiar. Só não tem como ficar indiferente. Afinal, quando falamos de Clio, falamos daquele cursinho que, muito antes das 100 vagas para o CACD, teve a ou$adia de espalhar em outdoors, embalagens de pizza e na parte traseira de ônibus coletivos pelas capitais do país aquele simpática foto do Barão acompanhada da provocação :

Quer ser diplomata?

Todo curso superior vale

Todo ano tem concurso

O salário é de R$ 15.005,26

cacd-abin-ofchan-clio

Rarissimo exemplar de um anuncio em embalagem de pizza do Curso Clio

Hoje parece óbvio tanta gente saber disso… Mas, pensando no contexto de 10 anos atrás, o que o Clio fez foi investir pesadíssimo para informar e formar um mercado que ainda não existia: o mercado de preparação para a carreira diplomática.

Ah, então não existia cursinhos e professores que preparavam para o CACD antes do Clio?

Sim, existia, claro. Mas o que o Clio fez foi 2 coisas. A primeira foi sistematizar a preparação para o CACD com um rigor metódico que ainda não existia (quem nunca estudou pelo cronograma clássico de 22 semanas?!). A segunda, foi levar a preparação para o CACD para uma outra escala, a escala industrial. Tipo assim: antes de Ford existiam carros, mas só depois de Ford  e da linha de produção que foi possível às pessoas comuns comprarem carros. Com o Clio foi mais ou menos a mesma coisa. O Clio acabou levando o CACD para as pessoas “comuns”. Para evitar mal entendidos: pessoa comuns não significa pessoas sem recursos mas, sim, pessoas que não tinham amigos ou parentes no Itamaraty e que não tinham nenhuma familiaridade com a carreira diplomática.

Ah, ok! Mas isso foi bom ou ruim?!

Isso foi antes de tudo uma revolução. E como toda e qualquer revolução foi bom e ruim a um só tempo!

Fato é que com o surgimento do Clio a relação candidato/vaga para o CACD explodiu, os candidatos ficaram muito mais competitivos e ficou muito mais difícil passar no CACD. Fato é que o Clio sempre foi visto como elitista e caro. Fato é que o Clio estampava seus 100% de aprovação nas propagandas e isso incomodava muitos candidatos, sobretudo aqueles que ano após ano batiam na trave mas não passavam no CACD nem a paulada.

O Paradoxo Clio tem muitas faces e já foi assunto aqui na nossa entrevista com o João Daniel, um dos founding fathers do Clio (leia aqui).

cacd-abin-ofchan-clio

Goste ou não: o Clio é uma realidade manifesta no universo do CACD. Ou você faz Clio, ou você fez Clio ou você vai concorrer com alguém que faz ou fez Clio (as famigeradas “Cliaturas“).

Mas o que é isso? O Clipping está fazendo propaganda para o Clio?

É claro que não. Aliás, como todo bom diplomata, o Clio sempre foi dos cursinhos o mais discreto nas redes sociais em termos de propaganda. Sem contar que o perfil do aluno Clio costuma ser mais reservado e mais “come-quieto”. Essa estratégia low-profile acaba dificultando a vida de quem quer acompanhar as últimas tendências do CACD, pois quando alguma inovação ou tendência desponta no Clio, leva um tempo até reverberar aqui nas redes sociais. Resultado: para ficar antenado com o que rola no CACD muitos candidatos acabam tendo que recorrer àquele amigo “olheiro” que está matriculado nas fileiras do Clio.

E é por essa e por outras que o novo modelo de preparação anunciado pelo Clio merece um post a parte no Blog do Clipping CACD. Afinal, se o cursinho mais tradicional mudou seu cronograma tradicionalíssimo de ponta-cabeça é sinal que chumbo grosso e muitas mudanças vem por aí no CACD…  

Sabendo dessas mudanças gigantescas o Clipping bateu o gancho para a Secretaria do Clio, falou diretamente com os coordenadores pedagógicos, e apurou tim tim por tim tim dessa nova metodologia para o CACD antes de escrever essa matéria. Vamos ver um pouco mais de perto as continuidades e as rupturas a serem anunciadas pelo Clio?

1. Cronograma e Bibliografia oficiosa do CACD: O modelo clássico do Clio

É uma verdade dolorosa, mas não importa como você se prepara para o CACD hoje. Invariavelmente, boa parte do que você faz é reproduzir, ainda que inconscientemente, um modelo de preparação idealizado nos primórdios do Clio em 2003. A bibliografia “oficiosa” do CACD, o cronograma clássico de 22 semanas, as leituras de aprofundamento: tudo isso que todo CACDista hoje faz é  uma reprodução com variações do modelo clássico do Clio, que  vinha se mantendo com poucas alterações… Esse modelo, pelo que o Clipping apurou, muda radicalmente nos próximos dias…

Que modelo clássico do Clio é esse, afinal?

A grande sacada do Clio em 2003 foi pegar os Editais do CACD e estruturá-los em um “cronograma oficioso”  e uma “bibliografia oficiosa” para cada disciplina. Com o cronograma e a bibliografia oficiosa você esgotava o conteúdo de uma disciplina em 22 semanas. Era mais ou menos assim:

  •  1 aula teórica para cobrir 1 tópico seguida de 1 leitura obrigatória.

Assim o “cronograma oficioso” do CACD deu origem ao que conhecemos como a “bibliografia oficiosa” do CACD. Por que “oficiosa”? Bom, ao invés de investir na leitura da antiga “bibliografia oficial” do Cespe, o aluno a substituía por uma bibliografia muito mais pragmática sugerida pelo Clio para cada um dos 22 tópicos.

Para quem nunca colocou as mãos no clássico cronograma de 22 semanas e na bibliografia oficiosa do CACD.

CACD-Clio-ABIN-OFCHAN

CACD-ABIN-OFCHAN-Clio

Qual o problema do modelo clássico do Curso Clio? O primeiro era o preço. O segundo era o fato de que raramente os 22 tópicos cobriam o Edital do CACD de forma abrangente. Sempre ficava um ou outro ponto em aberto que acaba ficando na responsabilidade do aluno ver por conta própria.

2. Giro 360º graus pelo Edital do CACD: o novo modelo do Clio

Qual é a grande aposta do novo modelo do Clio? O foco deixou de ser os 22 tópicos do “cronograma oficioso”, para ser os tópicos do Edital do CACD. Isso é uma mudança significativa no sentido  de fazer um trabalho exaustivo de esgotamento de TODOS os pontos do Edital: um por um. Será que dá para cobrir todo o Edital? Bom, o desafio é esse…

Fato é que agora as aulas passam a ser planejadas estritamente em pontos do Edital do CACD, o que implica aulas mais específicas e mais aprofundadas.  Daí o nome do novo modelo curso: Diplomacia 360º graus. Por que 360º?  Porque a ideia é dar um giro 360º por todo o Edital do CACD de forma a esgotar todo o conteúdo.

O cronograma novo para o modelo novo não foi ainda liberado. É possível que amanhã já esteja disponível e é provável que mantenha continuidades em relação ao cronograma antigo do Clio. #aguardemos

3. Extensão da carga horária para preparação para o CACD

Esgotar o Edital do CACD significa gastar mais tempo sobre ele. O que isso implica? Aumento de carga horária, claro.

A duração do curso no Clio deixa de durar 6 meses para durar 1 ano e a carga horária deixa de ser 360 horas para ser 720 horas. O Curso Regular de 6 meses e 360 horas é extinto e dar lugar ao Curso 360 graus de 1 ano e 720 horas.

Isso significa que os iniciantes que entram agora na corrida do CACD terão uma base mais extensa de conteúdo para ver. O que isso implica para o CACD em termos de competitividade? O tempo dirá… Mas é possível que para os próximos anos que passa para a 2ª passa com mais base para se dar bem em uma 3ª fase. Ou seja: a tendência é aumento do nível da concorrência #paravariar

Vale lembrar que aumento de carga horária não é necessariamente uma novidade. A novidade trazida pelo novo modelo do Clio não é exatamente esse, mas a forma como o aumento de carga horária é feito.

Daí entra algo que é realmente novo em termos de preparação: o cronograma em 2 níveis integrados.

4. Cronograma do CACD em 2 níveis integrados

No modelo clássico do Clio, o aluno via o básico em um módulo básico para depois aprofundar no módulo avançado.

No modelo novo do Clio, o aluno a preparação para o básico e o avançado se dá simultaneamente com um cronograma integrado. Ou seja: acabou aquela história de fazer o básico para depois fazer o aprofundamento. Ninguém sai mais do “módulo básico” sem aprofundamento. E isso definitivamente vai impactar nos cortes do próximo ano e na competitividade de quem passa pelo TPS pela primeira vez.

Nesse novo modelo, você trabalha em 2 níveis de forma integrada.

É o seguinte:

Você tem por semana para cada disciplina:

  •  1 aula teórica básica na unidade Clio (telepresencial) de 1:40hs
  •  1 aula teórica complementar em casa (online) de 50 minutos no dia seguinte à aula básica.

O Clipping questionou o Clio sobre como ficaria o cronograma de cada matéria para termos uma ideia melhor de como isso vai funcionar. De acordo com o que a coordenação pode adiantar, a integração entre o básico e o avançado varia de matéria para matéria.

Tipo, no caso de Direito Internacional, por exemplo, ministrado pelo Prof. Bystronski (o Clipping já entrevistou o Bystronski, veja aqui) foi informado que a aula básica focaria em teoria e a aula avançada focaria sobretudo em casos da Corte Internacional de Justiça, OMC, etc que vem sendo tendência cobrada na banca.

No caso de Português, de acordo com a coordenação, as aulas básicas focariam em gramática pesada e as aulas avançadas focariam em exercício do CESPE, sobretudo o estudo da jurisprudência da banca.

No caso de História do Brasil, por exemplo, é possível que as aulas básicas sejam voltadas para o programa clássico política interna (Bóris Fausto e Cia)  e as aulas avançadas versem em aprofundamentos pontuais em PEB, que é o que mais rola na 3ª fase. Mas isso a coordenação do Clio não disse. É só achismo do Clipping mesmo… Aguardemos o anúncio oficial nos próximos dias.

5. $ e CACD: Falando de preços sem medo…

O próprio Clio nunca escondeu que se preparar para o CACD é caro, etc. Embora o Clio tenha inaugurado a política de concessão de bolsas, continuava sendo caro. Isso mudou com o Diplomacia 360º Graus?

Sim mudou demais e não tem como negar…

De acordo com o informado pela Secretaria do Clio o Curso 360 graus com dobro de carga horária representa 60% do valor do antigo Curso Regular por 6 meses com 360 horas. Trocando em miúdos, o que você pagaria antes por 3 disciplinas isoladas no Clio por um período de 6 meses, você paga pelo Curso Completo com todas as disciplinas durante 1 ano e com carga horária dobrada de 720 horas.

Olha, se for isso mesmo, o Clio deixou de ser o curso mais caro para ser o mais em conta se levarmos em consideração a carga horária. O Clio foi de um extremo a outro em termos de preço.

Ah! Que isso! O Clipping está dizendo que tá barato se preparar para o CACD agora? 

cacd-abin-ofchan-clio

Não. Preparação para o CACD demanda um certo dinheiro.

A propensão a investir em cursinhos varia de candidato para candidato. O que é caro? O que é barato? Isso é muito relativo… O Clipping sempre toma todo o cuidado para falar sobre custos. Nem sempre é um assunto agradável. Mas não tem como fingir que estudar para o CACD não custa $.

O melhor mesmo é você colocar as contas na ponta do lápis, ligar para a Secretaria do Clio e tirar suas próprias conclusões. Mas que foi uma queda significativa tendo em conta a elevação da carga horária, isso foi!

Ah, mas o Clipping está sim soando meio propaganda!

Olha, o Clipping já viu e já ouviu muita história de muito candidato disposto a vender até as cuecas para pagar o necessário para sentar numa carteira do Clio e fazer um curso completo com o corpo docente do Clio. Então, não tem como não celebrar mesmo que discretamente uma guinada dessas na política de preços do cursinho que sempre foi visto como o mais elitista. #fato

Mas aí é que está… O “preço” do menor preço é a menor flexibilidade.

6. Menor flexibilidade para disciplinas isoladas no CACD

Menor flexibilidade? O que isso quer dizer?

Pelo que o Clipping apurou, a princípio, o curso Diplomacia 360º graus, o curso básico, é vendido completo. É estilo OMC: single-undertaking. Você compra o pacote fechado com todo o curso. É claro que dá para parcelar em não sei quantas vezes… Mas a princípio, a flexibilidade fica limitada ( reforçando: “a princípio”. O melhor é você ligar para a Secretaria e se informar melhor).

Ah, mas eu queria só uma parte do curso!

O curso Diplomacia 360º Graus se propõe a ser uma porta de entrada para os estudos para o CACD. Não faz sentido o candidato que começa a estudar agora sair buscando um professor daqui e dali e fazer um cronograma Frankestein. Embora a falta de flexibilidade deva ser incômoda para quem já tem um tempo de estrada, não faz muito sentido quem começa a estudar  agora se preocupar com isso.

Ah, mas já sou veterano de CACD  e eu quero só uma parte do curso!

Então, questionado pelo Clipping sobre a situação dos alunos que já cursaram Clio e outros cursos antes e querem cursar o modelo novo só pela metade, o Clio informou que soluções personalizadas serão providenciadas pela Secretaria. O ideal é bater um gancho lá para a Secretaria do Clio no Rio de Janeiro, onde fica a Sede e a autonomia do pessoal lá para uma solução personalizada costuma ser maior.

*Atenção: Fica o conselho de sempre do Clipping para com todos os cursinhos. Coloque sobre a mesa sua situação financeira atual. Não seja tímido. É de interesse de todo cursinho dar, na medida do possível, uma solução personalizada para cada aluno.

7. Foco na jurisprudência do CESPE e fim do Baqo

Não foi só o curso tradicional do Clio que mudou de ponta cabeça. O avançado também passou por mudanças drásticas.

Os Baqos (bloco avançado de questões simuladas) foram extintos de uma vez por todas.

cacd-abin-ofchan-clio

O Clio enterrou o Baqo de vez. E deve ter muita gente soltando foguete com essa notícia. Afinal, que aluno do Clio nunca se deseperou com os simulados do Baqo? Não é para menos… O Baqo sempre foi assustador mesmo. Várias questões do Baqo do Clio tinham nível irreais de dificuldade. Não importa o quanto você estudasse, você sempre acabava topando com uma nota de rodapé absurda que dificilmente seria cobrada na prova do Cespe.

Ah, o Clipping está dizendo que os simulados do Baqo do Clio era ruins então?! 

Longe disso. O Baqo sempre foi uma opção incrível para aprofundar os estudos, mas nem sempre uma boa opção para treinar para o TPS. As correções do Baqo eram extremamente enriquecedoras, mas no fim das contas, o aluno passava o ano treinando para o Baqo e não para o TPS. Não raro, o aluno com prática no Baqo ia para o TPS procurando cabelo em ovo, o que não é nada bom…

No lugar do Baqo, entra o Clio Diplomacia Aplicado, que assim como o Baqo é um curso avançado para CACDistas com um tempo de estrada e que querem se debruçar sobre exercícios e aprofundamentos

Qual é a diferença?

A diferença é que no novo Clio Diplomacia Aplicado o foco são questões do CESPE.

O Clio deixou de trabalhar em cima das pegadinhas dificílimas do Baqo para trabalhar em cima da jurisprudência do CESPE. O que se faz no Curso Diplomacia Aplicado é mais ou menos o que o Clipping faz no #desvendandoabanca: um estudo aprofundado da linguagem da prova e da estrutura das pegadinhas do CESPE.

8 . A sinergia do Blended

Mesmo quem era aluno Clio no telepresencial sempre teve aquele dilema:

Vale ou não vale a pena partir para BSB ou para o Rio para ver os professores em ação em carne e osso?

Não tem como o mesmo professor estar presente em todas as capitais do país ao mesmo tempo. Isso é Física, coisa que nem o Cespe consegue subverter.

Bom, a sinergia e o calor que rola nas aulas raramente é reproduzível em estúdio.

cacd-abin-ofchan-clio

Quem teve a oportunidade de ver a mesma aula pelo Telepresencial e ao vivo sabe  bem o quanto fica lost in translation do modo presencial para o telepresencial ou online. É, sim, bem diferente ver uma aula feita para uma turma real… O professor instigado por uma sala de aula repleta de alunos sempre vai além. Tudo bem que sempre tem aquele colega que quer dar seu showzinho com uma pergunta nada a ver e fora de hora, etc. Ainda assim, uma aula presencial é beeeeeeeem superior.

Dessa ideia de reproduzir ao máximo o clima do presencial, veio a introdução da modalidade “Blended” no CACD pelo Clio. Por que “Blended“? Por que é um meio termo entre o presencial e o telepresencial. As aulas são transmitidas ao vivo  para todo o Brasil. Não tem mais aquilo de que:

Ah, a galera do Rio está sempre sabendo algo a mais do que eu do interior

Com o Blended, a intenção é que todo aluno Clio esteja nivelados. A ideia do Blended é simular no telepresencial a sinergia e o dinamismo das salas de aula.

9. Interação via Twitter

Ah, mas mesmo com o Blended só a galera do Rio vai poder perguntar nas aulas?

Aí é que vem a parte legal! Nesse modelo Blended, o mecanismo de perguntas vai funcionar via #hashtags no twitter.

cacd-abin-ofchan-clio

Essa parte de tecnologia aplicada à educação é bem a cara do Clipping e não tem como não se empolgar. As interações via #hashtags possibilitam que todo mundo mesmo quem não esteja inscrito no curso possa interagir lendo as perguntas e respostas do professor. É bem legal. É bem promissor. Isso pode inclusive incentivar os alunos a tuitarem trechos-chaves da aula e pode nascer daí novas formas de geração colaborativa de conteúdo gratuitas. Tem uma ideia nesse sentido? Manda para o Clipping. Essa parte interessa muito para gente…

Essas interações via #hashtags no twitter não é propriamente uma invenção do Clio. O modelo funciona muito bem há um bom tempo sobretudo no mercado de cursinhos jurídicos, com resultados muito bons. O próprio Ricardo Victalino, vulgo Macau, já é um adepto ferrenho do uso do  twitter nas salas de aula (a entrevista que o Prof. Macau deu ao Clipping você lê aqui)

Vai rolar Bolsas?

Então… no calor do momento o Clipping acabou esquecendo de perguntar isso à Coordenação. Mas o Clio sempre teve desde 2005 uma política de concessão de Bolsas por mérito. Tipo tem um provão nacional e os melhores qualificados ganham descontos que chegam a 100% do valor do Curso. Julgando pela tradição do Clio,  é altamente provável que role em breve concurso de Bolsas para o novo modelo do Curso Diplomacia 360º graus e também para o Clio Diplomacia Aplicado. #aguardemos

Vale lembrar que pedidos de bolsa avulsos são analisadas caso a caso. Isso não só no Clio, mas em todo e qualquer cursinho. Portanto, pesquisem. Busquem informações na Secretaria e coloquem suas cartas sobre a mesa. Tanto aluno quanto o cursinho tem a ganhar com esse diálogo.

11. Ofchan, ABIN e afins

A expertise do Clio para a preparação para o CACD acabou levando o Clio a investir na preparação para OFCHAN, ABIN, MDIC, etc já faz alguns anos. Não é ao acaso que de Curso Clio o nome passou para Clio Carreiras Internacionais.

Os cursos preparatórios para OFCHAN e para ABIN já estão rolando, mas não vamos falar deles aqui nesse post. Senão fica grande demais. Vote abaixo no que vale a pena o Clipping desvendar no próximo post.

banner clipping cacd sobre o que tem no clipping

Já foi aluno no Clio? O que achou do modelo clássico? O que acha do modelo novo? Deixe para nós um comentário.


  • Avatar
    Clipping

    Uma plataforma de estudos capaz de te ajudar a estudar com autonomia, através de planos de estudo, roteiros de leitura, mapas mentais, resumos e simulados.


Avatar
Clipping

Uma plataforma de estudos capaz de te ajudar a estudar com autonomia, através de planos de estudo, roteiros de leitura, mapas mentais, resumos e simulados.