O que é o Instituto Rio Branco e Quais suas funções

  • Diário das Nações
    Diário das Nações
    25/03/2020 . min de leitura
Instituto Rio Branco

O Instituto do Rio Branco foi criado em 1945 e esse ano não foi escolhido por acaso! Comemorava-se os cem anos de nascimento do Barão do Rio Branco, o patrono da diplomacia brasileira.

O que motivou a criação do Instituto, foi a necessidade de formar e aperfeiçoar os funcionários do Ministério das Relações Exteriores e reunir um núcleo de estudos sobre a diplomacia e as relações internacionais.

Você já deve ter ouvido falar no CACD (Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata), em outros textos reunidos aqui no Clipping, certo? Pois bem, é no Instituto – exclusivamente – que ocorre a seleção para a carreira, realizada anualmente desde 1946, sendo uma das seleções mais tradicionais do país, onde desde a sua primeira turma ingressa, até os dias atuais, formou mais de dois mil diplomatas.

Além da formação, o Instituto do Rio Branco é responsável pelo Curso de Aperfeiçoamento de Diplomatas e do Curso de Altos Estudos, que são essenciais para os diplomatas que almejam alçar a ascensão em sua carreira.

Vale ressaltar que, desde o posto inicial de terceiro secretário, até graus mais avançados da carreira diplomática, é de responsabilidade do Instituto, selecionar, formar e aperfeiçoar uma coesão do grupo de servidores, seguindo as normas da política externa brasileira.

A fim de promover maior igualdade no acesso à carreira de diplomata e promover uma diversidade no Itamaraty, realiza-se anualmente seleção de bolsistas para o Programa de Ação Afirmativa, onde por meio de bolsas-prêmio, há o custeio dos estudos dos candidatos negros no CACD.

Estrutura do Instituto Rio Branco

Assim como ocorre em todas as instituições que conhecemos, no Instituto Rio Branco há a necessidade de subdividir as tarefas a serem realizadas em setores, para não sobrecarregar um responsável e aliviar outro, e nesse caso, os setores são denominados órgãos, sendo eles:

  • Diretoria: Responsável por coordenar a administração e organizar a biblioteca do Instituto, administrar os cursos de aperfeiçoamento, coordenar a implantação dos acordos de cooperação com academias diplomáticas estrangeiras e orientar o encaminhamento geral do Programa de Ação Afirmativa;
  • Coordenação-Geral de Ensino: Possui os atributos de orientar a organização do Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata e do Curso de Formação do Instituto Rio Branco;  
  • Secretaria Acadêmica: É encarregada das publicações do Instituto, do registro, controle e tratamento das provas e notas atribuídas nos cursos do Instituto, de organizar reuniões do corpo docente, de bancas examinadoras e de comissões de avaliação;
  • Secretaria Administrativa: Trata dos orçamentos e finanças, providencia materiais pertinentes às atividades realizadas no Instituto, além da expedição de diplomas e certificados de conclusão.
  • Biblioteca Embaixador João Guimarães Rosa: Foi inaugurada em 1998 e conta com um acervo de mais de 21 mil exemplares e mais de 12 mil títulos de livros, periódicos, dissertações e teses em diversas áreas que cobrem o edital do Concurso e outros temas. Além de possuir presença ativa das pessoas que a compõem, em revistas acadêmicas internacionais e nacionais, bem como em jornais, revistas e resenhas.

Atualmente, a Embaixadora Maria Stela Pompeo Brasil Frota é a Diretora-Geral do Instituto, o Conselheiro Bruno de Lacerda Carrilho é o Diretor-Geral-Adjunto, e o Conselheiro Francisco Eduardo Novello é o Coordenador-Geral de Ensino.

Corpo docente

Não há uma posição fixa dos docentes que compõe o Instituto, anualmente é postada uma relação dos professores adjuntos no Anuário. Por conta da preferência de promover aos diplomatas em formação o contato direto com o estado da arte das relações internacionais e da política externa brasileira, os docentes escolhidos são especialistas e acadêmicos de renome, adjuntos das melhores universidades do Brasil, além de diplomatas de carreira e outros servidores públicos que estão diretamente ligados aos temas exigidos no CACD.

Alguns nomes que passaram pelo corpo docente, palestrantes ou professores convidados, foram:

Adriano da Gama Kury, Afonso Arinos de Melo Franco, Alceu Amoroso Lima, Amado Cervo, Ana Maria Villela, Antenor Nascentes, Antonio Augusto Cançado Trindade, Antônio Barros de Castro, Aurélio Buarque de Hollanda Ferreira, Bertha Becker, Carlos Henrique da Rocha Lima, Carlos Lessa, Cristovam Buarque, Flávio Versiani, Geraldo Eulálio do Nascimento e Silva, Gilberto Dupas, Haroldo Teixeira Valladão, Helio Jaguaribe, Hélio Viana, Hildebrando Accioly, Hilgard Sternberg, Joaquim Mattoso Câmara Jr., José Flávio Sombra Saraiva, José Francisco Rezek, José Luiz Werneck da Silva, Maria Regina Soares de Lima, Maria Yedda Leite Linhares, Mario Henrique Simonsen, Renato Janine Ribeiro e Silviano Santiago, entre outros.

Este post foi produzido por Luana de Sousa do Diário das Nações.

Curtiu o post do Diário das Nações aqui no blog do Clipping? Então Deixe o seu comment e compartilhe com a sua rede! 🧡 Aproveite também para conhecer um pouco mais sobre a carreira diplomática. 😀


  • Diário das Nações
    Diário das Nações

    O Diário das Nações é uma página de caráter jornalístico criada em abril de 2018 por estudantes do curso de Relações Internacionais, ensino médio e demais colaboradores com o objetivo de informar sobre os principais acontecimentos no âmbito político-governamental em todas as partes do mundo.


Diário das Nações
Diário das Nações

O Diário das Nações é uma página de caráter jornalístico criada em abril de 2018 por estudantes do curso de Relações Internacionais, ensino médio e demais colaboradores com o objetivo de informar sobre os principais acontecimentos no âmbito político-governamental em todas as partes do mundo.