Como Estudar com as Provas Anteriores da PRF

  • Clipping
    31/08/2018 . 13 min de leitura
estudar provas anteriores prf

Quando o assunto é estudar para o concurso da PRF, a melhor forma é fazer as provas anteriores da Polícia Rodoviária Federal. Só assim você vai começar a entender como as matérias são cobradas, vai se acostumar com a prova e intensificar a forma que estuda.

Quer saber como começar a estudar com as provas anteriores? Fizemos um conteúdo focado para que você coloque já esse método em sua rotina de estudos.

Nesse conteúdo você entenderá:

1. Como são as etapas do concurso da PRF

2. Por que estudar com as provas anteriores da PRF

3. Como estudar com as provas anteriores da PRF

4. Como estudar para a prova objetiva da PRF

5. Como estudar para a prova discursiva da PRF

1. Como são as etapas do concurso da PRF

Segundo o edital de 2013, a seleção do concurso público para o cargo de Policial Rodoviário Federal se divide em duas etapas.

A primeira fase delas possui uma prova objetiva, uma discursiva, exame de capacidade física, avaliação de saúde, psicológica, investigação social e a avaliação dos títulos.

Já a segunda fase será o Curso de Formação Profissional que também possui um caráter classificatório e eliminatório.

Sendo assim, o primeiro momento do concurso são as avaliações, tanto objetivas, com provas fechadas, quanto discursivas. Os candidatos precisam se preparar para elas e a melhor forma seria realmente entendendo como a prova funciona e aprendendo a fazê-la.

📌 Fizemos uma comparação do Edital da PRF de 2013 com o último Edital da PF. Se você está estudando para a PF e quer estudar para a PRF, precisa baixar logo e comparar as matérias. Clique aqui para baixar.

2. Porque estudar as provas anteriores da PRF

A melhor forma de começar a estudar para algum concurso é fazendo as provas anteriores dele. Isso funciona como uma forma de você ter uma primeira noção de como é a sua familiaridade com os temas cobrados na prova e enxergar melhor onde estão as suas dificuldades.

💡 No Clipping sempre fazemos um simuladão inicial antes de inserir um concurso novo na plataforma. Só assim somos capazes de dar um pontapé inicial aos estudos aos candidatos. Inclusive, se você quiser fazer o simuladão da PRF, é só clicar aqui 👈

A partir daí será possível começar a organizar um plano de estudos que melhor se encaixe com as matérias que precisa dar ênfase com o tempo que disponibilizará para os estudos.

Durante a preparação do seu cronograma, você será capaz de analisar as matérias que precisam ser estudadas e revisadas. Além disso, precisará colocar no papel qual será a sua quantidade de tempo disponível para estudo. E, claro, é essencial frisar o período de duração da sua preparação.

Sem contar que até o período destinado à preparação física deve ser inserido no plano de estudo. Como vimos acima, a primeira fase do concurso da PRF possui uma avaliação física dos candidatos. Se você quer ficar apenas sentado estudando, vai precisar tirar o seu lado sedentário de lado e correr (literalmente) atrás do prejuízo.

O lado bom disso é que aliar a atividade física ao estudo é capaz de trazer muitos benefícios, como o aumento da sua concentração, faz diminuir estresse e a ansiedade. Quer coisa melhor?

Quanto tempo terei para estudar para a PRF?

Imagine que quando o edital de um concurso sair, é provável que a prova não demore mais de quatro meses para acontecer a primeira fase. Por isso, vários concurseiros já começam a estudar bem antes dos primeiros indícios da confirmação começarem a surgir.

No caso da PRF, por exemplo, foi publicado em julho deste ano uma portaria que contava exatamente sobre a necessidade de novos profissionais, confirmavam que ocorreria um concurso e que nos próximos seis meses sairia o edital. Depois disso, confirmaram que o edital sairia ainda em setembro deste ano, pouquíssimos meses depois.

Mas isso não quer dizer que quanto menos tempo de estudo, pior. Isso significa apenas que você terá que se organizar de forma assertiva o que pode significar um estudo muito mais direcionado e focado. A motivação de estar a poucos meses do concurso é algo que fará com que estude com mais vontade e assiduidade, sem esquecer de incluir no plano de estudo as provas anteriores da Polícia Rodoviária Federal, claro.

Agora que sabemos da importância de começar a estudar fazendo as provas anteriores, vamos entender como elas fazem a diferença ao longo de todo o processo de preparação. Vamos lá!

3. Como estudar as provas anteriores da PRF

Quando se está montando um plano de estudos, é essencial acompanhar quais são as matérias cobradas no edital. Só assim você conseguirá seguir uma linha de raciocínio mais lógica das matérias. Por isso, a sua primeira tarefa é ler atentamente o edital. Se ele ainda não tiver saído, leia o do último concurso. Apenas, primeiramente para ter uma noção de quais conteúdos são cobrados.

Além disso, existem outros pontos importantes que você precisa analisar no Edital para conseguir estudar as provas anteriores. Confira!

1. Conheça a Banca examinadora

A Banca Examinadora do concurso público é a responsável por planejar, organizar, divulgar e selecionar os candidatos que mais possuem os conhecimentos necessários para ocupar o cargo. Sendo assim, a principal função da banca é conseguir separar as pessoas qualificadas para vagas muito concorridas.

Conhecer a banca é fundamental para entender como a prova será desenvolvida, qual é  formato da prova e como funciona a correção. Assim, conhecê-la te fará conseguir uma vantagem ao aprender na prática como fazer a prova.

2. Encontre o que é importante no edital

É preciso que você leia atentamente todo o edital, observe como será realizada a correção das provas e quantas serão as fases. E não se esqueça de acompanhar atentamente quais são as matérias cobradas para conseguir estudar tudo. Abaixo fizemos uma lista do que você precisa encontrar de informações principais no edital do concurso da Polícia Rodoviária Federal:

  • Requisitos para a inscrição

  • Critérios para a classificação

  • Como são as etapas do concurso

  • Qual é a data da prova

  • Quais são as matérias gerais e específicas

  • Quais são os tópicos cobrados e a profundidade da cobrança na prova

  • Como são contabilizados os pontos

  • Quais são as exigências em cada uma das fases

🔔 Importante: Como dissemos anteriormente, muitos concurseiros começam a estudar muito antes do edital sair. Nesse caso, o melhor a fazer é estudar com o edital do concurso anterior.

Enquanto escrevíamos este conteúdo, o edital da PRF 2018 ainda não tinha saído, assim estamos consultando o edital do último ano, 2013. Na hora de estudar, você precisa fazer o mesmo. Se o edital ainda não tiver saído, procure o do ano anterior e já comece a sua preparação o quanto antes.

Vale lembrar que, assim que o novo edital sair, você terá entre 45 a 90 dias de preparação, então, o quanto antes começar a estudar, melhor.

4. Como estudar pela prova objetiva dos concursos anteriores da PRF

Agora que você já entende a importância de ler o edital antes de tudo, é preciso que você acompanhe atentamente abaixo como deve ser o seu estudo se baseando na prova objetiva dos concursos anteriores da Polícia Rodoviária Federal.

1. Conheça a banca examinadora do concurso da PRF

No Edital de 2013 da PRF, por exemplo, a Banca Examinadora foi o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), a mais temida pelos candidatos.

Existem vários motivos para esse receio com essa banca.

O primeiro deles é justamente o formato diferenciado da múltipla escolha que possui as opções de certo e errado. Dessa forma, o candidato precisa ter muita atenção na hora de preencher o gabarito e até de escolher o momento certo de optar por deixar em branco, já que uma questão correta é anulada por uma questão errada.

💡 Isso acontece para evitar que o candidato chute questões e acerte ao acaso, deixando de lado a sorte e baseando o resultando no conhecimento do candidato.

Além disso, as provas não abrangem todo o conteúdo do edital, mas acabam cobrando de forma mais aprofunda as matérias. O que faz com que as avaliações do Cespe se transformem em provas extensas, complexas e que pedem do candidato um domínio interdisciplinar dos conteúdos.

2. Tenha um banco de questões para resolver sempre

É preciso ter em mente que estudar para passar em um concurso público é necessário saber fazer a prova. Você só conseguirá vencer esse desafio  ao fazer outras provas.

O que você precisa procurar na internet inicialmente são as provas objetivas dos anos anteriores da Polícia Rodoviária Federal. Caso ache poucas provas, vale partir para procurar provas de concursos para o mesmo nível e realizados pela mesma banca do concurso que você vai prestar.

Algo que já faria toda a diferença no seu estudo é ter questões específicas sobre a matéria que você está estudando.

No Clipping, por exemplo, sempre que você aprende uma matéria presente no edital, você recebe um minissimulado para testar os seus conhecimentos sobre os assuntos estudados. Assim, não precisa perder tempo procurando questões online e garante um estudo muito mais focado.

Ficou interessado em conhecer o Clipping? Nossa plataforma de estudos online agora está com uma área específica só para o concurso da PRF. Para você quer levar seus estudos para PRF a sério, recomendamos que você confira 👇

Conheça nossa plataforma de estudos para PRF

3. Faça revisões constantes

O estudo com as provas anteriores deve acontecer também como uma forma de te preparar para o dia da prova. Você ficará pelo menos três horas assentado resolvendo as questões e precisa se acostumar com isso.

A melhor forma é fazer avaliações mensais (ou, se estiver com pouco tempo, semanais). Só assim você conseguirá sentir na pele como será o exame e realmente testar mais os seus conhecimentos.

Na hora de fazer o simuladão, tente focar completamente nele. Separe um tempo muito igual ao da prova, para fazê-la. Deixe na mesa apenas os materiais que usará no dia da prova e nada de usar o celular ou verificar a resposta das questões. Tenha esse hábito de testar a sua memória.

Se quer testar a sua habilidade de fazer questões com mais ou menos tempo do que seria na prova original também vale. Assim você se acostuma a fazer questões com uma pressão maior de tempo.

Dica de correção com revisão

Após finalizar a prova e passar todo o seu gabarito para a folha de respostas (sim, vale até testar a sua agilidade nessa parte também), você poderá conferir as questões que acertou e errou.

Depois passe por cada uma delas, lendo atentamente a questão. Vale marcar ou o que te confundiu na questão ou o que te deu mais dúvida. Em seguida, vá anotando do lado direito de cada questão a explicação correta dela e no lado esquerdo qual matéria você precisa revisar ou aprofundar melhor durante os seus próximos  estudos.

Não adianta de nada apenas fazer questões sem notar quais são as matérias que mais estão te causando dúvida. Sem fazer isso, você nunca será capaz de entender quais as matérias que ainda não absorveu direito.

Aproveite esse momento do Simuladão para ver como está o seu entendimento das matérias do edital. Uma boa forma de fazer isso é criando um status de como está se sentindo sobre cada um dos conteúdos.

No Clipping usamos três emojis diferentes para que você consiga identificar as matérias que possui menos ou mais dificuldade. Veja abaixo como funciona:

5. Como estudar pela prova discursiva dos concursos anteriores da PRF

Assim como acontece com as provas objetivas, as provas discursivas também podem ser estudadas se baseando nos anos anteriores. O ponto chave nesse momento é saber estruturar bem as respostas para conseguir passar dessa etapa.

As principais dicas para resolver questões discursivas são: seja objetivo e mostre seus conhecimentos sobre o assunto abordado. Mas como fazer isso?

Organização de uma questão discursiva

Primeiro é preciso ter em mente que todas as questões, mesmo as que parecem mais simples, precisam de uma fundamentação completa.

Depois, tenha em mente como precisa ser a organização da sua resposta e quais são as principais informações.

O seu texto precisa ser dividido em três partes, sendo elas início, miolo e final. A primeira e a última precisam de um ar mais objetivo, enquanto o miolo precisa conter todo o seu conhecimento sobre o assunto.

Antes de começar a escrever, é essencial recordar tudo o que sabe sobre o assunto e iniciar as relações entre os conteúdos. Vale fazer um mapa mental rápido para entender toda a sua linha de raciocínio.

💡 Sabia que no Clipping você encontra mapas mentais das matérias que você precisa estudar? Eles podem ser uma ótima forma de você conseguir lembrar toda a matéria de forma mais assertiva.

Se lembrar de algum exemplo, vale colocar, mas se não tiver total certeza sobre ele, evite acrescenta-lo.

Por fim, não deixe de lado o ponto central da questão e foque sempre em procurar por fatos importantes que ajudem a solucionar o que foi perguntado, sem que seja preciso ou florear demais ou fugir do assunto principal.

Sua letra precisa ser legível

Falando assim pode parecer besteira, mas de nada adianta uma questão respondida perfeitamente bem se o examinador não conseguir entender a sua caligrafia.

Imagine que ele terá várias outras provas para corrigir e talvez não tenha tanta paciência de perder o dobro de tempo corrigindo apenas o seu exame. O interesse de ser entendido aqui é completamente seu, então, faça com que a sua letra seja a mais legível possível para evitar esse estresse.

Se você tem dificuldade com isso, a melhor forma é treinar responder questões discursivas em folhas avulsas e caneta, deixando de lado a digitação. Assim você se acostuma e já treina para o dia da prova.

No Clipping, por exemplo, professores especialistas são convidados para treinar os assinantes para as provas discursivas dos concursos e adivinha? O assinante precisa mandar a resposta da discursiva escrita à mão.

Isso é uma ótima forma para você até notar se sua letra está entendível o suficiente e no que precisa melhorar. Além de te treinar de verdade para a prova.

Mas não fica só por isso não, a melhor parte desses exercícios é a correção que ocorre em conjunto para que todos os assinantes treinem o fazer e também o olhar para entender o que o examinador da banca quer encontrar na resposta.

Assim, todos os assinantes conseguem postar suas respostas, ler as discursivas dos outros e apontar o que pode melhorar, o que faltou, tudo isso baseado em uma lista de componentes fundamentais e que precisam estar presentes na resposta.

Como começar a estudar com as provas anteriores da PRF

No início pode parecer complicado, mas com o passar do tempo você vai se acostumar com esse método de estudo que é o mais praticado por quem passa em concursos atualmente.

Ao praticar esse exercício de fazer as provas anteriores da Polícia Rodoviária Federal você consegue entender melhor como é a lógica dos examinadores, além de ficar mais esperto com as pegadinhas e até se acostumar com os enunciados maiores. Isso te dará uma confiança maior na realização da prova.

O que está esperando? Comece já a incluir nos seus estudos as provas anteriores da Polícia Rodoviária Federal.

Comente abaixo quais são as suas maiores dificuldades na hora de estudar com as provas anteriores 👇


  • Clipping

    Uma plataforma de estudos capaz de te ajudar a estudar com autonomia, através de planos de estudo, roteiros de leitura, mapas mentais, resumos e simulados.



Clipping

Uma plataforma de estudos capaz de te ajudar a estudar com autonomia, através de planos de estudo, roteiros de leitura, mapas mentais, resumos e simulados.

PRF

Como entrar na PRF?...

  • Clipping
    15 min de leitura