Sono na hora de estudar? 9 dicas práticas que funcionam!

  • Pedro Soares
    Pedro Soares
    05/08/2020 . min de leitura
Pessoa com sono na hora de estudar

Estudar requer muitos esforços. E dentre os mais variados desafios está o famoso sono na hora de estudar. Você pode até dormir de 7 a 9 horas por dia, mas não adianta: a sonolência sempre aparece para atrapalhar sua rotina. 

Mas, afinal, por que isso acontece, mesmo quando na teoria se está completamente descansado?

A verdade é que os motivos para que isso ocorra são os mais diversos e é preciso, antes de mais nada, saber pontualmente o que provoca o sono, para então combatê-lo.

Até porque, o sono pode derrubar sua produtividade, fazendo com que você revise mais do que o necessário só porque deu uma “pescada” durante uma videoaula ou deu uma piscada maior durante a leitura de uma apostila.

Será que só uma xícara de café resolve? Ou é preciso aumentar ainda mais as horas de sono à noite?

Esse diagnóstico é complexo, por isso, continue a leitura e veja como driblar o sono na hora de estudar.  

E se sentir sono ao longo da leitura, sem pressa. Faça uma pausa para uma água ou um café e volte em seguida. 😉

Nesse post, você encontra as seguintes seções:

Veja 9 formas de driblar o sono na hora de estudar

  1. Durma bem
  2. Beba água!
  3. Determine pausas durante o estudo
  4. Tenha um ambiente de estudo adequado
  5. Estude matérias diferentes ao longo do dia
  6. Permita-se a uma cochilada após o almoço
  7. Alimente-se bem
  8. Considere ir ao médico
  9. Descubra qual o melhor horário para você estudar

Veja 9 formas de driblar o sono na hora de estudar

1. Durma bem

É claro que a primeira dica para se conseguir evitar o sono na hora de estudar é dormir adequadamente. 

Muitos especialistas indicam que 6 horas bastam. Outros, a partir de 8h. A verdade é que você precisa dormir bem para poder render ao longo das horas de estudo e para isso, é preciso realmente desligar na cama.

Livre-se de eletrônicos como computador ou celular. Talvez um livro para motivar o sono sem usar luz artificial que esses aparelhos emitem. 

O sono é importante não apenas para o seu bem-estar, mas também no aprendizado, já que é nesse momento que o cérebro memoriza melhor as informações que ele absorveu ao longo do dia. 

Por isso, durma para não ter sono no dia e para aprender melhor também.

2. Beba água

“Não seria melhor café?”

O cafezinho ajuda, mas deixemos ele para depois. A dica é para reforçar a importância da água para seus estudos. 

É um pouco óbvio falar de quão fundamental ela é em nossas vidas, mas é sempre bom lembrar que um corpo sadio é garantia que tudo em você funciona bem. 

E a água é primordial para os processos nessa máquina chamada corpo. Basta lembrar que ele é 70% formado dela. 

Sendo mais objetivo, a água ajuda na oxigenação, o que permite uma comunicação melhor entre os neurônios em seu cérebro e, por isso mesmo, a memorização é melhor. 

Bom, e no que ele ajuda a evitar no sono? A fadiga, muitas vezes, é um indício que você pode estar desidratado. Não que a água será a sua fonte de energia para o dia todo, apenas. Mas ela ajuda muito a evitar esse cansaço profundo. 

Não precisa trocar o café – aliás, ele bem dosado ajuda, claro! – mas não troque a água por ele. Tenha sempre um copo por perto e não espere sentir sede para dar uma boa golada. 

3. Determine pausas durante o estudo

Não se engane achando que fazer pausas torna sua rotina menos produtiva. Pelo contrário. Entre uma matéria e outra sempre tente parar, seja para fazer alongamentos, para tomar um café, regar as plantas…

Independentemente do que for fazer, use essas pausas para realmente focar em outra atividade que não seja os estudos. 

Para não abusar desse tempo, use algumas técnicas como o Pomodoro, determinando os períodos de descanso e o de estudar. 

4. Tenha um ambiente de estudo adequado

Todo mundo que estuda em casa deve ter um lugar apropriado para isso. Um canto em que reina a tranquilidade, onde está tudo o que você precisa para aprender e que outras pessoas respeitem para você ter o máximo de sossego e para não perder a concentração. 

Além da tranquilidade, há outros requisitos a serem respeitados. Como por exemplo, a iluminação. O local de estudos deve ser claro. Além de permitir que a vista se canse menos, é possível ainda se espantar o sono com ela. O cérebro entende a luz clara como dia, por isso, se manterá ativo por mais tempo. 

Outro fator é o conforto. Obviamente, o local de estudo deve ser um local em que você se mantenha por mais tempo de maneira agradável e que não o desgaste. Por outro lado, muito conforto pode ser o gatilho para o corpo se relaxar e querer “desligar” um pouco. 

Permaneça sentado, evite baixar a cabeça até a mesa onde estuda. Deitar em sofá ou na cama, nem pensar! 

5. Estude matérias diferentes ao longo do dia

Estudar a mesma matéria em um único dia não é recomendado por vários motivos. E um deles certamente é porque, uma hora ou outra, seu cérebro começará a se “entediar” com ela. 

Tente variar as matérias ao longo do dia, priorizando aquelas mais densas na hora em que você se sente mais alerta e que dificilmente cairá no sono. 

Faça um plano de estudo em que as matérias ao longo do dia sejam as mais diversas, de áreas distintas, para que seu cérebro consiga sempre estar atento ao novo. E também para praticar a interdisciplinaridade, que aumenta ainda mais a eficiência do estudo.  

6. Permita-se a uma cochilada após o almoço

São poucos os sortudos que conseguem voltar à toda após um almoço, por mais leve que ele seja. É natural, afinal, seu organismo está trabalhando mais “pesado” por conta da digestão e, por isso, gastando mais energia. 

Esse tempo de cochilo não pode ser muito longo, claro, mas por mais curto que ele seja, pode ser determinante para voltar aos estudos à tarde mais renovado e disposto a seguir a rotina sem vontade de cair no sono. 

7. Alimente-se bem

Aliás, a alimentação em si é fundamental para sua saúde e isso não pode ser desconsiderado na hora de estudar. 

Cada corpo é habituado a uma rotina alimentar e é importante respeitar o seu para se manter sadio e por muito tempo com energia. A fome, além de deixar você fraco, tirará sua concentração e tornará seu estudo menos produtivo.

O equilíbrio entre uma refeição e outra impedirá que você fique com muita fome ao longo do dia e não deixará que o sono venha por conta de uma comida pesada.  

8. Considere ir ao médico

Se você já tentou de todas as formas espantar o sono na hora de estudar e não conseguiu, talvez o problema seja mais complexo do que imaginava. 

Acontece que muita gente possui o distúrbio do sono, pessoas que mesmo dormindo bem, acordam cansadas e indispostas. Às vezes, é uma consequência da ansiedade, que leva a se ter insônia, por exemplo. 

Nesse caso, o melhor a se fazer é procurar uma ajuda médica. 

9. Descubra qual o melhor horário para você estudar

Dificilmente você encontrará uma cartilha completa que te indicará qual o melhor horário para estudar. Na verdade, quem diz isso é você mesmo.

Porém, isso não é lá tarefa muito fácil, por mais que pareça. O sono na hora de estudar pode ser, inclusive, um indicativo que você não sabe o melhor horário para aprender. 

Por isso, é fundamental que você investigue isso analisando seu desempenho ao longo de um período. É natural, por exemplo, que ao final do dia, seu cansaço bata e o sono apareça, ainda mais se no restante do dia você se dedicou a algo realmente desgastante. 

E, por isso, temos uma dica especial para você que quer encontrar o melhor horário para estudar. O texto do link é uma série de sugestões que você pode realizar em casa para achar o seu ritmo, de acordo com o período do dia. Quem sabe, ainda, isso não espanta o sono na hora de estudar?! Aproveite! 

E aí, já tentou aplicar alguma dessas dicas no seu dia a dia? Conta pra gente um pouco sobre os resultados nos comentários!


  • Pedro Soares
    Pedro Soares

    Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!


Pedro Soares
Pedro Soares

Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!

Aprendizagem ativa: 7 formas de aplicar nos estudos

  • Pedro Soares
    Pedro Soares
    28/07/2020 . min de leitura
Aprendizagem ativa

Você conhece a aprendizagem ativa?

Com certeza esse não é um termo novo no universo de quem está se dedicando para passar em um concurso ou mesmo no Enem, mas são poucos que conseguem explicar como praticam em seu dia a dia. 

E certamente você aplica esse conceito de alguma forma em seus estudos, mesmo sem saber. 

A verdade é que estudar requer empenho e o primeiro passo para ter sucesso em uma prova é ter um rotina de dedicação e planejada nos mínimos detalhes.

Falando assim, parece até fácil, não é? Mas, você deve saber que nem sempre é assim. Dedicar-se aos estudos é um desafio diário, repleto de obstáculos que podem fazer sua jornada ser um pouco mais trabalhosa.

É aí que entra a metodologia ativa de aprendizagem. Esse texto busca esclarecer algumas dúvidas quanto a esse tema e ainda te dará algumas dicas práticas de como aplicar em seu dia a dia e potencializar seus resultados.

Para falar melhor sobre a aprendizagem ativa, é importante, primeiro, falar sobre a diferença em relação à passiva. Afinal, hoje, o seu estudo é baseado em qual dos dois métodos? 

Siga com a gente e entenda!

Nesse post, você encontra as seguintes seções:

Aprendizagem ativa e passiva: quais as diferenças?

Qual importância da aprendizagem ativa?

Quais as 7 melhores formas de aplicar a aprendizagem ativa nos estudos?

  1. Anote tudo!
  2. Grife e rabisque!
  3. Questione-se ao final de uma leitura ou aula
  4. Pesquise mais!
  5. Faça exercícios
  6. Crie mapas mentais
  7. Ensine alguém!

Você sabia que você pode ser mais eficiente em um determinado horário do dia?

Aprendizagem ativa e passiva: quais as diferenças?

Os nomes meio que são autoexplicativos, não é mesmo?

Mas para que não restem dúvidas, começaremos pelo personagem principal desse texto. A aprendizagem ativa é aquela em que seu envolvimento com o conteúdo é total. 

Desde grifos nos materiais, passando por anotações, até mesmo mapas mentais completos sobre diversos assuntos que se correlacionam. 

Ou seja, há profundidade e envolvimento. Você se entrega totalmente ao que estuda e sabe explorar recursos e métodos para uma melhor aprendizagem.

A passiva, por sua vez, é um estudo mais superficial. Ler um livro e não anotar trechos importantes. Ou assistir a uma aula e não fazer um resumo do que aprendeu. 

Pode parecer meio óbvio imaginar que a aprendizagem ativa é a mais praticada, mas não se pode cravar isso. 

Dependendo do que se lê, a passiva é mais presente. Muitas vezes por achar que aquele conteúdo está dominado ou que não requer tanto empenho assim. 

Importante dizer também que o método passivo não deixa de ser um estudo, mas muito mal explorado. Se você ler um livro e ficar nisso, é claro que você terá aprendido algo, mas com certeza deixou alguma informação para trás porque não anotou, grifou ou fez resumos.  

Qual importância da aprendizagem ativa?

Depois de ler sobre a diferença entre a passiva e ativa não fica muitas dúvidas sobre qual aplicar no seu dia a dia, certo? 

O aprendizado ativo é muito mais eficiente que o passivo e por isso mesmo o seu estudo é melhor aproveitado. 

Sua importância se dá ao fato de justamente ele oferecer mais recursos para intercalar disciplinas e para trabalhar outras áreas do cérebro, o que permite fortalecer ainda mais aquilo que é aprendido. 

Portanto, na hora de fazer seus planos de estudo, não deixe de incrementá-los com algumas técnicas que farão seu aprendizado ainda mais efetivo. 

Mas, você deve estar se perguntando: como fazer isso?

É claro que a gente tem algumas dicas para você. Sete, na verdade. 

Você verá que elas são bem práticas. Tudo para tornar seus estudos mais eficientes e sem perder o foco. Acompanhe! 

Quais as 7 melhores formas de aplicar a aprendizagem ativa nos estudos?

1. Anote tudo!

Na hora que estiver consumindo algum conteúdo de estudo, não deixe de anotar as principais informações que são fornecidas. 

Dessa forma, você não só estará reforçando o que está aprendendo, como estará colocando em prática um outro jeito de aprender, que é escrevendo. 

Esse exercício faz com que outras áreas do cérebro trabalhem, fazendo com que a informação seja armazenada melhor. 

Além disso, as anotações serão fundamentais para a revisão. Você não precisará consultar o material novamente, basta criar resumos e consultá-los.

Os resumos, aliás, devem ser com suas próprias palavras. Aquilo que você entendeu na matéria. A partir daí, se você não entender, reveja a aula ou refaça a leitura. 

2. Grife e rabisque!

Não se iniba em preencher seus materiais de anotações. 

Diferente da dica anterior, aqui é fundamental que você grife partes importantes de um livro ou de uma apostila. É claro, quando são os seus, né?

Os grifos e esses “rabiscos” devem reforçar alguma ideia principal. Aquelas que são fundamentais para a compreensão da matéria ou dos tópicos.

Os rabiscos não devem ser de qualquer jeito. Eles podem linkar dois assuntos semelhantes, reforçar uma ideia ou mesmo destacar alguma anotação sua (sim, se der, anote também no livro e na apostila).

Eles e o grifo facilitarão quando você precisar consultar esses materiais para esclarecer alguma dúvida que ficar na revisão, tornando sua pesquisa mais rápida.  

3. Questione-se ao final de uma leitura ou aula

Será que você realmente entendeu o que acabou de estudar? 

Você descobre isso de um jeito bem prático: criando um questionário sobre o que acabou de estudar. Obviamente, você deve saber responder essas perguntas. 

Mas, resolva essas questões em um outro momento, para que o cérebro não esteja “viciado” com a sessão de estudos mais recentes. 

Essa dica permite que o cérebro trabalhe mais para guardar a informação, evitando os efeitos da curva do esquecimento

Sem falar que é a garantia de que seus estudos estão sendo efetivos! 

4. Pesquise mais!

Na hora dos estudos, você certamente estará munido de bons materiais. Mas não se contenha a eles. 

Na verdade, pesquisar por outras fontes pode ser fundamental para correlacionar conceitos ou mesmo obter novos pontos de vista sobre determinado assunto. 

Se você ficar com dúvida depois de uma sessão de estudos com esses materiais, não se iniba de ir atrás de outros conteúdos. A aprendizagem ativa será posta em prática com essa pesquisa!

5. Faça exercícios

Você com certeza já viu essas dicas em outros matérias sobre como estudar melhor. 

E verá aqui também, porque um estudo não pode ser ativo se você não pôr em prática o que aprendeu. 

E isso só virá com exercícios! 

Sua rotina de estudos precisa ter um horário só para eles, não importa o quão habituado ou certo de que aprendeu sobre a matéria você esteja. 

Com os exercícios, o cérebro saberá como aplicar o que ele guardou em seus estudos na prática. Sem eles, você poderá ter muita informação aprendida, mas sem saber como aplicá-las no dia da prova.

Se você está estudando para concurso, busque por cadernos da mesma banca organizadora. Isso te deixará por dentro da maneira como o ela elabora as questões, prevenindo que você caia em certas “armadilhas”.

6. Crie mapas mentais

Os mapas mentais são ótimos instrumentos de estudo. Graças a eles, você pode realizar uma aprendizagem ainda mais completa. 

Você precisa ter um tema central e ir destrinchando ele com subtemas, que, por sua vez, devem também ser relacionados a outros. 

Dessa forma, você criará um grande mapa em que ideias levam ao tema central. 

O mapa mental também estimula a criatividade, fazendo com que você use cores para determinados assuntos, criando mais gatilhos para sua mente guardar informações.

Aliás, aqui vai uma dica dentro de outra: se você perceber que dá para associar um tema a uma matéria diferente, faça isso! Não se prenda a uma só disciplina em seu mapa. 

Isso se chama interdisciplinaridade. É um sinal claro de que seu aprendizado está realmente ativo! 

7. Ensine alguém!

Não importa se sua rotina é de um estudo solitário. Se você tiver a oportunidade de ensinar alguém que está em uma jornada de aprendizado, vá em frente. Isso é fundamental para aplicar o que você tem aprendido!

Crie sua própria ementa e técnicas para ensinar essa outra pessoa, aquelas em que você pode explorar de maneira bem eficiente o que você já estudou e que será importante para seu aluno. 

Essa é uma forma prática de validar aquilo que foi estudado. Afinal, ensinar é aprender duas vezes, não é mesmo?

Você sabia que você pode ser mais eficiente em um determinado horário do dia?

Depois de toda essa leitura, você pôde perceber como é importante criar uma boa jornada de estudos com pequenos métodos que permitem você aprender muito melhor. 

Com essas dicas, com certeza você terá uma aprendizagem ativa e com muita eficiência, aproveitando melhor as suas horas de dedicação aos estudos.

Por falar em horas, você sabe qual é o melhor horário para estudar? Essa pergunta é mais difícil do que se possa imaginar, por isso, a gente te recomenda a leitura do texto do link.

Curtiu o conteúdo? Não esqueça de deixar seu comentário e compartilhar com quem precisa daquela força nos estudos! 


  • Pedro Soares
    Pedro Soares

    Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!


Pedro Soares
Pedro Soares

Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!

Técnicas de memorização: as 8 melhores!

  • Pedro Soares
    Pedro Soares
    21/07/2020 . min de leitura
Técnicas de memorização

O bom proveito das horas de estudo é fundamental para aquelas pessoas que precisam estudar para diversas provas ao mesmo tempo. 

Essa produtividade tem um grande desafio a ser superado: guardar grande quantidade de informações com eficiência. 

Mesmo com uma rotina bem organizada, a quantidade de material para ser estudado encontra um inimigo perigoso: a curva do esquecimento. Mas, algumas técnicas de memorização podem ajudar a superar esse desafio. 

Mas, afinal, quais são as melhores? Como guardar todas as informações necessárias para um estudo eficiente com produtividade e praticidade? 

Você encontrará essas respostas neste texto! Mas, antes. É preciso que você guarde algumas informações importantes te ajudarão a entender melhor o seu processo de aprendizagem. 

Nesse post, você encontra as seguintes seções:

O que é curva do esquecimento?

Memorizar e decorar: qual a diferença?

Quais são as 8 melhores técnicas de memorização?

  1. Leia mais de uma vez
  2. Escreva o que precisa lembrar
  3. Faça resumos
  4. Utilize mapas mentais
  5. Dê aula para si mesmo
  6. Use gravações
  7. Consuma outros conteúdos sobre a matéria
  8. Exercite o que aprendeu

Dicas bônus: e o seu corpo?

Tenha uma rotina de estudos

O que é curva do esquecimento?

Você pode até não conhecer esse termo, mas muito provavelmente em algum momento ela apareceu em sua vida. 

A curva do esquecimento é, na verdade, um processo que acontece em nosso cérebro, que “esquece” de determinada informação conforme os dias passam.

“Como assim?”

Digamos que você está no primeiro dia de estudos para uma prova. Nesse momento, você retém o máximo de informações que puder. 

Conforme os dias se passam e você não estuda mais aqueles tópicos, as informações tendem a ser esquecidas. 

Porém, se você revisar a mesma disciplina em outros dias e praticar exercícios, as informações irão fixar mais em sua mente. 

Esse processo já foi estudado por alguns pesquisadores, como o psicólogo alemão Hernann Ebbinghaus. Ele verificou os efeitos do tempo nessas informações que guardamos em nosso cérebro. 

A curva do esquecimento é ilustrada neste gráfico, que representa exatamente a retenção das informações em nosso cérebro com o passar dos dias. 

Portanto, a curva do esquecimento é um processo natural em nosso cérebro de não guardar mais as informações que não são usadas em nossa rotina ao longo dos tempos.

É fundamental que quem estuda para determinada prova saiba sobre esse efeito em seu cérebro para continuar praticando e retendo melhor as informações. 

Bom, deu para entender que uma rotina bem organizada e muita prática são os primeiros passos para a memorização, certo? 

Pronto para decorar as matérias? 

Se você está pronto para decorar algo, leia atentamente o próximo tópico. Você precisará. 

Memorizar e decorar: qual a diferença?

Decorar não é a melhor palavra para você usar nem a melhor tática para estudar. 

Mas, muita gente confunde, de fato, a famosa decoreba com memorização. Por isso, você precisa ter em mente que uma é melhor que a outra. 

Decorar, nada mais é do que guardar uma informação e a reproduzir automaticamente para usá-la muito objetivamente. 

Para entender, você se lembra das fórmulas de física? Bom, se alguma veio em sua mente, você sabe aplicá-la só quando precisa ou sabe explicar o seu uso?

Se você consegue contextualizar essa fórmula e o porquê ela é aplicada, você a memorizou. Agora, se você apenas sabe que ela é usada em determinada situação, a decorou.

“Mas, qual o problema? O importante é saber usar, não?”

Não é por aí. A decoreba fará você se esquecer dessa fórmula com o tempo. Por outra lado, se você a memorizar, dificilmente você se esquece daquilo que estudou.

Isso porque você entende sobre o que está lendo. Ao decorar, você pode cair em pegadinhas que fogem do contexto no qual sua mente guardou a informação. 

Portanto, mais do que guardar, é preciso entender o que você estuda. 

Não é fácil, é preciso dedicação e muito empenho, o mesmo que você deve ter em sua rotina de estudos. 

Mas, algumas técnicas farão você memorizar os conteúdos de maneira mais fácil. Quer ver? 

Quais são as 8 melhores técnicas de memorização?

Antes de mais nada, é preciso dizer que tudo depende de seu empenho. Não há fórmula mágica que fará seu desempenho melhor se você não se entregar de fato aos estudos. 

E tudo depende também de prática. Nenhuma das 8 técnicas de memorização que você lerá a seguir terá efeito sem prática. 

Então, se empenhe. Vamos lá?

1. Leia mais de uma vez

A leitura é parte essencial de qualquer estudo. Mas, não basta ler apenas uma vez. Algumas pesquisas indicam que a primeira leitura não é suficiente para aprender algo.

Sempre que ler, tente entender a leitura. Se isso não acontecer, retorne e leia novamente. Repita isso em outros dias. 

Essa prática ajuda a fixar o conteúdo na mente e entender melhor a informação no cérebro. Se preferir, faça isso em voz alta e explique para si mesmo o que entendeu.  

2. Escreva o que precisa lembrar

Fazer anotações – a mão – do que você deseja memorizar é uma dica bem eficiente. Realizar a escrita exige mais atividades do cérebro, ou seja, ele trabalha mais e melhor. 

É importante reforçar o fato de você fazer isso à moda antiga: na mão, com papel e caneta. Isso porque, se você fizer isso no computador, o processo de escrita será mais automático, portanto, um aprendizado mais superficial. 

3. Faça resumos

Resumos são ótimos amigos para o estudo. É uma prática em que você exercita o que aprendeu, com suas palavras, do conteúdo estudado. 

Faça isso aplicando a dica anterior, ou seja, a mão. Releia seus resumos nas revisões e retorne o material original para eventuais dúvidas. 

Os resumos precisam ser uma aula para si mesmo. Explique cada detalhe, faça associações completas de modo que, se fosse para explicar a alguém, a pessoa conseguiria aprender com facilidade. 

4. Utilize mapas mentais

Muito associado ao resumo, o mapa mental é eficiente porque se vale de informações visuais.

Com criatividade, você pode abusar de cores e outros elementos visuais para aprender determinado assunto. 

O mapa mental é feito com um tema central sendo ramificado por subtemas correlacionados. Eles são conectados por ligações. 

A mesma conexão você fará com os subtemas, criando uma expansão das ideias e sempre interligando cada termo que tiver alguma relação. 

Isso criará “caminhos” até o tema central. Para cada tipo de ligação, associe a uma cor. Ou, para cada tipo de informação. 

As informações visuais serão mais uma maneira de seu cérebro guardar determinado assunto. Sem falar que, quanto mais abrangente seu mapa for, mais completo ele será, podendo, inclusive, incluir outras matérias. 

Se você for bom de desenho, abuse ainda mais da criatividade. O importante é você ter uma ferramenta completa para o aprendizado.

Untitled
Exemplo de mapa mental

5. Dê aula para si mesmo

Só sabe ensinar quem realmente aprendeu, certo? Ou seja, quem memoriza todas as informações de maneira eficiente. 

Na verdade, a prática de ensinar a si mesmo fará com que você se questione sobre determinados assuntos e procurará por novas informações, dando ainda mais força à memorização. 

Se você acreditar que não funciona consigo mesmo, faça isso com algum amigo que está no início dos estudos. O importante é que você pratique essas informações em seu cérebro e fortaleça a memorização. 

6. Use gravações

Esse método para memorizar é muito usado e tem eficiência. Você estuda, grava o que entendeu e na hora de revisar e, depois, escuta as gravações. 

Você estimula o cérebro a guardar as informações por meio do som. Isso funciona para elementos visuais, como já leu ainda há pouco, e também com os meios auditivos. 

Vale também gravar videoaulas que você assiste. Grave e escute depois. 

“Posso usar podcasts?” 

Claro! Aliás, esse é o gancho perfeito para o nosso próximo método. 

7. Consuma outros conteúdos sobre a matéria

Podcasts, filmes, livros e até mesmo histórias em quadrinhos. Existem diversas maneiras de aprender que não seja só o convencional. 

Assistir a um filme que trata do tema que você está estudando, por exemplo, faz com que você veja a matéria sobre um outro ponto de vista. 

Sem dizer que filme e outros meios são mais leves e você pode fazer isso de maneira mais relaxada – e quando falamos “relaxada”, não significa desleixada. Mas sim, sem uma pressão que a hora do estudo requer. 

Livros e HQs também são dois modos de fazer isso de forma mais tranquila. Aliás, os quadrinhos podem ajudar com a associação visual. Você se lembra que leu por aqui que elementos visuais são ótimos para memorizar, certo?

A dica não vale apenas para esses três meios. Você pode assistir a uma videoaula, mas com certeza sua mente associará ao empenho do dia normal. E deve ser assim mesmo. 

Mas a ideia desse método é que você faça isso de maneira mais tranquila e associada ao lazer. 

8. Exercite o que aprendeu

Nada é aprendido de verdade se não houver prática. Por isso, pratique usando provas antigas ou similares às que você irá fazer.

E não precisa ficar preso às provas. Pode fazer quizzes e palavras-cruzadas, aliás, elas são ótimas dicas para realizar a memorização de maneira leve e até divertida. 

Tente fazer esse método com todas as matérias que você estudar, promovendo a interdisciplinaridade. Esse é um jeito muito bom para aprender e correlacionar as matérias, o que facilita a sua memorização e aprendizado.  

Praticando exercícios, sua mente será mais ativa e terá mais facilidade em assimilar as informações na hora da prova. 

Dicas bônus: e o seu corpo?

Todas essas técnicas de memorização que você aprendeu agora farão muita diferença na hora da prova.

Mas, algumas outras dicas te ajudarão a se cuidar e ter um corpo (e mente) sadios para que o aprendizado possa ser ainda mais eficiente. 

Por isso, as dicas bônus que você terá não estão diretamente relacionadas ao estudo, mas ao seu corpo. E não descuide dele! Nunca!

Descanse

A gente tende a acreditar que quanto mais tempo passa na frente de livros e matérias de estudo, mais a gente aprende. Mas, não é bem assim.

Os momentos de descanso não são horas em vão. Elas servem para que sua mente assimile melhor o que aprendeu. Sem dizer que é uma “respirada” importante para que, ao longo do dia, você não se canse cedo demais. 

Por isso, respeite as pausas, seus melhores horários e os sinais que seu corpo der para um descanso. 

Faça exercícios físicos

Essa dica é para garantir que você seja sadio e não se preocupe com doenças ou outras mazelas que possa incomodar a sua produtividade. 

Mas não só: atividades físicas dão a sensação de bem-estar, o que melhora o seu rendimento ao longo do dia. 

Reserve um tempo em sua rotina de estudos para se exercitar, desde pequenas corridas ou caminhadas a até mesmo yoga ou meditação. 

Alimente-se bem

A alimentação é parte fundamental de nossa saúde. É claro que você não encontrará aqui uma cartilha de nutrição, mas é determinante que você passe o dia bem alimentado e que consuma alimentos saudáveis. 

Ainda nesse mesmo tema, lembre-se da hidratação. Falar da importância da água no corpo é “chover no molhado” (e um péssimo trocadilho, mas não deixa de ser verdade).

Durma

Cada pessoa tem o seu próprio ritmo, ditado pelo nosso organismo e pela nossa rotina. O importante é reconhecer isso, mas, ainda assim, ter suas boas horas de sono. 

Pode ser seis horas, oito, ou dez. Quem dirá isso é você mesmo. O importante é ter uma boa noite de sono para não apenas descansar, mas poder criar energia para um novo dia de estudo e deixar o cérebro zero para novos estudos e memorizar novas informações. 

Tenha uma rotina de estudos 

Mais do que uma nova dica de técnicas de memorização, essa aqui é uma sugestão para que você tenha sucesso nos estudos e naquela prova ou concurso que sonha em passar. 

Ao longo desse texto, você percebeu que é possível memorizar os estudos, sem precisar decorar nada e evitar as consequências da curva do esquecimento. 

Mas, sem uma boa rotina de estudos, organizada e que respeite todo a sua jornada ao longo do dia, de nada valerá essas dicas que leu aqui.

Por isso, que tal seis dicas práticas de fazer uma rotina de estudos? Você verá que é possível, de forma bem eficaz, de criar uma jornada de aprendizagem que respeite todos os desafios em se estudar!

Fala pra gente, o que achou das nossas dicas? Você utiliza alguma outra que não abordamos por aqui? Deixe seu comentário e compartilhe esse conteúdo com os amigos!


  • Pedro Soares
    Pedro Soares

    Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!


Pedro Soares
Pedro Soares

Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!

Melhor horário para estudar: será que existe?

  • Pedro Soares
    Pedro Soares
    15/07/2020 . min de leitura
Melhor horário para estudar

A rotina de estudos requer muita estratégia para ser o mais produtivo possível nas horas de dedicação. 

Além de ter ambientes próprios para estudo, algumas pessoas preferem fazer isso em determinados momentos do dia. 

Isso porque a hora que você estuda pode significar uma qualidade melhor do aprendizado. Mais do que propriamente estudar muito, essas pessoas conseguem estudar melhor ao longo do dia porque se dedicam mais em um determinado momento. 

Mas, como achar o melhor horário para estudar?

Se é possível dar uma resposta para essa pergunta seria: é impossível determinar isso de imediato. 

Há questões de rotina e até mesmo fisiológicas a se levar em conta. 

Portanto, para te ajudar a encontrar os melhores horários para você estudar, preparamos um conteúdo bem elucidativo e prático. 

Acompanhe!

Nesse post, você encontra as seguintes seções:

Por que ter um horário específico para os estudos?

O que é ciclo circadiano e o como ele te ajuda a encontrar o melhor horário para estudar?

2 passos para identificar o melhor horário para estudar

  1. Observe seus níveis de energia
  2. Faça os questionários matutino-vespertino

Dicas práticas para ser mais eficiente e potencializar seus estudos

Como estudar mais, em menos tempo?

Por que ter um horário específico para os estudos?

Ter horários certos para estudar é importante por diversos motivos. O primeiro é que você precisa ter uma rotina bem determinada para estudar. 

Uma rotina que você respeite e que respeite a sua capacidade e disponibilidade. Isso significa que não é a qualquer hora e nem em qualquer lugar que você irá se dedicar aos estudos.

O horário específico para estudar respeita também a sua disposição. Porque não é possível fazer isso quando se está esgotado, cansado depois de um dia muito intenso de trabalho, por exemplo.

Ter a hora certa para estudar significa também ter disposição e energia para aprender. 

Por isso, é fundamental entender um pouco mais sobre seu ritmo metabólico. 

Ou melhor, o seu ritmo circadiano. 

Dicas práticas para ser mais eficiente e potencializar seus estudos

O que é ciclo circadiano e o como ele te ajuda a encontrar o melhor horário para estudar?

Para falar sobre o horário que você pode render mais nos estudos, é preciso aprofundar o assunto para a parte fisiológica.

Até porque, a rotina de estudos requer o funcionamento perfeito de todo o seu corpo e envolve todo o metabolismo de seu organismo. 

O nosso corpo produz determinados hormônios e libera mais energia dependendo da hora e do dia. 

E nesse aspecto, é preciso falar sobre o ciclo circadiano, que você pode chamar também de relógio biológico.

Ele pode ser definido como o ritmo de alterações que ocorrem no metabolismo humano. Inclusive a distribuição de energia ao longo do dia. E isso não é um padrão.

Cada pessoa tem o seu ciclo circadiano. Porém, alguns aspectos externos, e inerente a todos, ajudam a regular esse ritmo. E um deles é a iluminação do ambiente. 

O sol é o responsável pela luz natural, certo? O seu relógio se baseia na quantidade de luz para liberar certos hormônios, como por exemplo o cortisol, que geralmente é liberado pela manhã. 

O cortisol é responsável por, entre outras coisas, manter equilibrada a pressão arterial e outras atividades metabólicas que dão energia ao nosso corpo, te deixando mais ativo. Ao longo dia, ele diminui, bem como a disposição. 

Já a melatonina está relacionada ao sono e ela é ativada principalmente em ambientes escuros. 

Mas, falar desses dois hormônios, principalmente, é falar apenas de uma parte que influencia o ciclo circadiano. Há mais aspectos a serem levados em consideração. 

O sono é outro fator que influencia no seu ciclo circadiano. Já que ela ajuda a regular a liberação desses dois hormônios. 

Nesse sentido, é possível observar três tipos de indivíduos:

  • Os matutinos: dormem cedo e acordam cedo e, por isso mesmo, tem melhor rendimento pela manhã.
  • Os vespertinos: dormem tarde e acordam tarde, por volta do início da madrugada e meio da manhã, respectivamente. Isso significa que seu rendimento é melhor à tarde.
  • Os indiferentes: aqueles que são mais influenciados pelo sua rotina no dia a dia, portanto, conseguem ser produtivos em qualquer horário. 

Percebe como é complexo encontrar uma cartilha pronta para te dar a resposta certa sobre o melhor horário para se estudar? Você pode ser um indiferente e funcionar mais à noite, por exemplo, mesmo a melatonina sendo mais liberada, normalmente, nesse período do dia. 

Se você não consegue perceber em qual perfil você se encaixa, a gente te indica alguns passos que podem fazer você encontrar o seu horário para estudar. 

Eles precisam de muita atenção e análise. Veja só. 

2 passos para identificar o melhor horário para estudar

Ainda que seja uma tarefa que requer muito da sua atenção, para algo que não tem uma resposta certa, encontrar o seu melhor horário para estudar passa por práticas simples. 

Para realizar cada uma, esteja atento aos seus horários e produtividade ao longo do dia. Confira. 

Observe seus níveis de energia

Para encontrar seu melhor horário para estudar, anote quais as horas de estudo e veja como foi sua produtividade neles. 

Você precisa fazer isso por pelo menos 15 dias, para ter uma melhor eficiência no resultado. 

Crie um diário, anote em algumas plataformas on-line, as mesmas ferramentas que você utiliza para criar o seu plano de estudo

Essas anotações te ajudarão a entender quais são os melhores horários para estudar cada matéria, de acordo com a sua disposição e a facilidade que tem para entender cada uma delas.

Faça os questionários matutino-vespertino

Esses questionários são baseados em alguns estudos que ajudam a entender o ciclo circadiano de cada pessoa. 

Eles são bem simples e ajudam a traçar, de maneira mais rápida do que o passo anterior, qual é o seu perfil de rendimento ao longo do dia. 

São perguntas em que a resposta dependerá mesmo de sua rotina e de suas preferências de sono, por exemplo. 

Mesmo que esses questionários ajudem a encontrar esse perfil, não deixe de perceber, em seu dia a dia, como é a sua disposição. Leve em consideração as atividades fora dos estudos, como exercícios físicos. 

Dicas práticas para ser mais eficiente e potencializar seus estudos

Depois de todo esse processo de autoconhecimento, você pode encontrar os melhores horários para estudar. 

Mas, algumas dicas podem fazer você render ainda mais e ajudar a potencializar o seu estudo no momento mais adequado. 

Para os matutinos

Se você descobriu que é de manhã que o seu ritmo é mais frenético, veja essas dicas: 

Faça café da manhã 

Alimentar-se é uma dica fundamental para qualquer tipo de rotina. E um café bem balanceado te dará mais energia para mais horas produtivas até o almoço. 

Tome chás ou café

Chás e cafés são bebidas energéticas que contribuem para a disposição. Elas ajudam a dispersar melhor aquele “restinho” de sono que temos ao acordar. 

Agora, se nenhuma das duas bebidas lhe fazem bem, procure outras opções energéticas, como sucos verdes. O importante é ingerir energia!

Estude as matérias mais complexas primeiro

Pela manhã, sua mente está mais descansada e, por isso mesmo, mais propensa a estudar conteúdos mais complexos.

Seu foco será melhor e a luz natural da manhã ajudará a não ficar cansado para as demais disciplinas que estão por vir no resto do dia. 

Para os vespertinos

Agora, se é à tarde que você voa nos estudos e na concentração, veja umas dicas bem legais.

Maneire no almoço

Como você pode ter lido no tópico dos matutinos, refeição é importante sempre. Porém, de maneira balanceada.

E para render melhor à tarde, é importante evitar comidas muito pesadas, gordurosas e que exigirão que seu metabolismo trabalhe mais na digestão dos alimentos. Por isso, opte por comidas leves! 

Faça sesta!

O famoso cochilo depois do almoço pode ser aplicado em qualquer tipo de perfil, porque ele dá uma descansada na mente e, ainda, ajuda a absorver o que você estudou até então. 

Mas, para você que rende mais à tarde, esse descanso fará repor as energias para ser ainda mais produtivo. Fará você se sentir com mais vigor e menos cansaço ao final do dia. 

E depois, tome banho!

Um banho, de preferência gelado, fará que você fique mais alerta e desperto. Ainda mais se for um dia de calor, quando temos propensão a gastar nossa energia mais rápido.

Para os indiferentes

Se para você o seu dia a dia permite uma concentração mais maleável, é capaz que as dicas anteriores atendam. Mas, faltam algumas para a noite, que acaba sendo o melhor horário  para estudar para aqueles que trabalham ao longo do dia. 

Pegue leve na janta

Assim como no almoço, comidas pesadas no jantar podem contribuir para o aumento da sonolência. Pior: somadas ao cansaço acumulado ao longo do dia, tornam-se um grande inimigo da disposição para os estudos no período da noite.

Portanto, a regra é apenas uma: busque ingerir alimentos leves!

Aproveite a falta de barulho

Uma das vantagens em se estudar à noite é a falta de ruídos do dia a dia. Por isso, a casa estará menos movimentada, a rua não terá buzinas ou carros passando.

Se você mora sozinho, não terá muito problema com barulhos. Mas, se mora com mais gente, avise de sua necessidade e peça que respeite. 

Tome cuidado com a iluminação

Aqui, é um problema inerente à esse período do dia. A luz artificial deverá ser mais usada e, inevitavelmente, deixará sua vista ainda mais cansada. A dica é ter descansos mais recorrentes. Use a técnica pomodoro para isso. 

Tente também manter o ambiente bem iluminado. Um único ponto de iluminação, como o computador em um quarto escuro, fará sua vista focar em um centro e isso levará a um maior cansaço.

Como estudar mais, em menos tempo?

Com esse texto, você percebeu que, apesar de não existir uma regra única para todas as pessoas, é possível sim encontrar o seu melhor horário para estudar. 

Aproveite as outras dicas para potencializar esse horário e nunca se esqueça de manter o corpo ativo como um todo, com uma alimentação bem balanceada e exercícios físicos. 

Agora, se você quer saber como estudar mais em menos tempo, temos um conteúdo que cairá como uma luva, com 15 dicas de estudos bem produtivas! Aproveite!

Gostou das nossas dicas? Então deixe seu comentário e não esqueça de compartilhar o conteúdo com aquele amigo ou amiga que deseja melhorar os rendimentos nos estudos, assim como você! 


  • Pedro Soares
    Pedro Soares

    Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!


Pedro Soares
Pedro Soares

Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!

Como criar uma rotina de estudos em 6 passos simples!

  • Pedro Soares
    Pedro Soares
    08/07/2020 . min de leitura
Como Criar Uma Rotina de Estudos

A realidade do dia a dia de quem se dedica aos estudos, seja para passar no Enem ou em um concurso público, exige dedicação, empenho e planejamento. 

A jornada de estudos é repleta de desafios. Você abre mão de atividades de lazer, passa horas lendo mais e mais conteúdos… enfim, inúmeros processos que são exigidos para ter sucesso nas provas. 

A pergunta de 1 milhão de dólares para quem está nessa vida é: como criar uma rotina de estudos que concilie todos os conteúdos que precisam ser estudados com todas as outras atividades do dia?

Essa dificuldade não é só sua. Na verdade, todas as pessoas que começam a estudar têm esse mesmo desafio. E, é claro, há um caminho não muito sinuoso para superá-lo.

Quer ver? A gente conta. 

Nesse post, você encontra as seguintes seções:

Veja por que se ter uma rotina de estudos

  1. Analise seu dia a dia
  2. Estabeleça prioridades
  3. Crie uma agenda 
  4. Tenha um local de estudos
  5. Prepare materiais
  6. Defina metas

Siga com métodos as dicas de como criar uma rotina de estudos

Veja por que se ter uma rotina de estudos

A rotina é um plano de seu dia, semana, mês e, por que não, do ano. 

Ela precisa englobar todas as suas atividades de forma organizada, de modo que você consiga cumpri-las sem deixar de fazer nada que realmente precise. 

A rotina orienta o seu plano de estudo e o torna produtivo. Determina tempo e prazos, sempre de acordo com a sua prioridade. 

Ela também precisa incluir atividades que não sejam de estudo. Precisa limpar a casa? A sua rotina de estudos deve ser baseada nisso! 

A rotina, portanto, nada mais é do que um cronograma que leva em conta o seu dia, as suas prioridades e o seu objetivo. 

E para saber como montar uma rotina de estudos, a gente preparou um passo a passo simples e prático. Para que você consiga aplicar, sem dificuldades, um plano completo e que atenda a todas suas necessidades. 

1. Analise seu dia a dia

Para saber como criar uma rotina de estudos, é preciso ter em mente todas as suas obrigações do dia. 

Se você ainda é estudante, precisa ir até a escola? Estuda por conta própria, frequenta cursos ou grupos de estudo?

Tem alguma outra atividade que não é necessariamente de estudo para seu objetivo, como tarefas domésticas e treinos de algum esporte? 

Todos esses compromissos precisam estar bem definidos para que sua rotina de estudos não seja comprometida por eles. 

Crie um calendário com todas essas tarefas, uma agenda estratégica para ter mais eficiência nos estudos. 

E o que não faltam são ferramentas que podem te ajudar com isso, como o Google Agenda

2. Estabeleça prioridades

Você já sabe exatamente o que precisa fazer numa semana, por exemplo. Agora, é fundamental que você tenha uma prioridade bem clara. 

E quando falamos de um plano de estudo, levamos em consideração que seu objetivo é estar melhor preparado para uma prova ou um concurso. 

Portanto, sim: será preciso avaliar a necessidade de exercer ou não alguma tarefa de seu dia a dia. Afinal, sua rotina de estudo não deve apenas preencher buracos entre uma atividade e outra. 

Pelo contrário, ela é quem moldará todo o seu dia depois de definida. Então, essa é a hora de refletir sobre o que pode ser deixado de lado para ser mais produtivo nos estudos.

3. Crie uma agenda 

Esses dois últimos passos fazem você ter plena capacidade de poder criar uma agenda bem determinada para estudar. 

Estamos falando de literalmente você colocar toda a sua rotina em um papel (ou em uma plataforma on-line), definir horários e seguir à risca!

Você precisa levar em consideração todas as disciplinas que devem ser estudadas. Pense também, caso for prestar algum concurso, nos pesos das matérias. 

Ainda, se você se desloca para ir até a escola, curso ou grupos de estudos, lembre-se de colocar esse tempo também. 

Coloque tudo isso em calendário à vista, pode caprichar na criatividade, mas não esqueça da efetividade de sua agenda. 

Se você é tech demais para usar um calendário físico, experimente o Google Agenda, ele engloba todas as suas atividades e ainda te lembra de determinados compromissos com lembretes pré-determinados.

Existem outras ferramentas, como Trello e Asana, que permitem você integrar sua rotina, adaptá-la ao longo do tempo e ainda colocar como está o processo de toda a jornada de estudos. 

4. Tenha um local de estudos

Se você quer saber como criar uma rotina de estudos, então escolha também um bom lugar para passar seu dia. 

Ter um local próprio para estudar deixará sua produtividade melhor, já que você se concentra mais, tem menos fatores que atrapalham o rendimento e pode organizar o seu material. 

Se estudar em casa é a sua realidade, opte por cômodos que não tenham movimentação e que sejam silenciosos. Tente mantê-lo fechado para que as demais pessoas que moram com você entendam que está ocupado.

Agora, não é o seu caso dividir a casa com mais alguém? Ótimo, mas não abra mão de um espaço próprio e que não seja em qualquer cômodo. Ele precisa respeitar todas essas regras para ter uma produtividade efetiva e manter a organização. 

Aliás, a organização é fundamental nesse espaço. Desde a mesa onde você lê as matérias e escreve, até a ordenação de livros e demais matérias. Tudo precisa estar em seu devido lugar para que você não perca tempo procurando. 

Outro fator importante é a iluminação e a temperatura. A luz deve ser adequada, deixando sua vista confortável e o ambiente arejado, mantendo equilíbrio para que não seja nem muito frio, nem muito quente.

Por fim, invista em conforto no local. Cadeira e mesas de tamanho adequado e que permitam uma boa ergonomia.

5. Prepare materiais

É impossível você ter um estudo efetivo sem ter o que estudar. Estamos falando sobre todos os materiais cobrados em edital ou na ementa de uma prova. 

É claro que sua rotina não será boa se você precisa parar para procurar esse material só quando for estudar ele. Ora, o tempo que você usará para procurar deveria ser aplicado para estudar, não é mesmo?

Por isso, antes de realmente começar a jornada, pesquise bibliografias, leia editais, repasse seus livros e conteúdos que já possua. 

Prefere baixar pela internet? Ótimo, faça isso tudo de uma vez. Deixar para depois será dispendioso de tempo e ainda te dará gatilho para navegar pela internet e sabe lá quando você voltará à órbita. 

Outro tipo de material muito usado para estudar são as provas anteriores da mesma banca que aplicará o concurso que você prestará. Alguns sites disponibilizam esses documentos e eles são excelentes para ir treinando o grande dia. 

Por isso, os baixe também e os estude quando for conveniente. 

6. Defina metas

Sua rotina precisa ser um plano para alcançar algo. Por isso mesmo, você precisa estipular objetivos. Eles servirão para alcançar o objetivo maior, que é estar preparado para a prova e obter o resultado esperado.

As metas servirão para ser produtivo, mas também servem de motivação para o dia a dia. Elas precisam ser objetivas, claras e atingíveis, afinal, você não pode se cobrar por algo que é inalcançável.

Você pode estabelecer metas diárias, semanais e mensais. Dessa forma, perceberá que sua rotina funciona, que sua produtividade está boa e se sentirá motivado a seguir com seu cronograma e planos de estudos.

E para se motivar ainda mais, premie-se a cada objetivo alcançado. Permita-se a pequenos “luxos” que, no dia a dia, você não consegue ter. Desse jeito, a motivação será maior. 

Siga com métodos as dicas de como criar uma rotina de estudos

Agora que você já viu quais são os passos mais simples para saber como fazer uma rotina de estudos, percebe que tudo dependerá de muita dedicação e foco, certo?

As dificuldades para se estudar sempre existirão, os gatilhos para se dispersar, desistir e que tiram sua concentração sempre estarão ao seu lado. 

Mas a melhor “arma” para lutar contra esses inimigos é de fato um autocontrole que tenha em mente um objetivo maior, que é estar preparado para passar em uma prova ou assumir a vaga em um concurso.

Todos esses passos que você leu aqui te ajudarão definir como criar uma rotina de estudos, mas, tem um ingrediente que pode ser ainda um baita reforço ao seu dia a dia: os métodos de aprendizado.

Os métodos são práticas estratégicas para ter uma melhor eficiência na hora de aprender, de fato. 

Mais do que uma rotina bem consolidada, você precisa ter técnicas que te permitem melhorar seu desempenho, administrar melhor seu tempo e com ferramentas que ajudem em seu foco. 

Por isso, agora que já sabe como criar uma rotina de estudos, que tal ler sobre 7 métodos, com dicas de técnicas e ferramentas? O texto será mais um suporte para o seu dia a dia!

Curtiu o conteúdo? Tem alguma dica para compartilhar com a gente? Então, deixe seu comentário e compartilhe esse conteúdo com aquela pessoa que precisa dessas dicas para ontem! 😉


  • Pedro Soares
    Pedro Soares

    Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!


Pedro Soares
Pedro Soares

Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!

17 apps para estudar mais e melhor!

  • Pedro Soares
    Pedro Soares
    07/07/2020 . min de leitura
17 apps para estudar mais e melhor!

Estudar é tarefa árdua. Mesmo que você esteja dedicado 100% aos estudos, seja para provas mais comuns ou mesmo concursos complexos, como o CACD, você sabe que uma mão amiga nessa hora é sempre bem-vinda.

Afinal, estudar requer foco e dedicação. E ao fazer isso, seja em casa ou não, é sempre possível encontrar os mais variados motivos para se distrair. 

Ou então, se perder em meio ao emaranhado de conteúdos a se ler, assistir, a se revisar

Então, uma ajuda é sempre necessária. E você pode encontrar na tecnologia os mais variados apps para estudar e, mais do que “só” isso, eles podem auxiliar a sua vida como um todo. 

Quer descobrir mais? Confira só. 

Nesse post, você encontra as seguintes seções:

Descubra os apps para estudar melhor!

  1. Trello
  2. Asana
  3. EasilyDo
  4. Aprovado
  5. Evernote
  6. Mecflix
  7. Quiz Up
  8. Flipboard
  9. Issuu
  10. Duolingo
  11. Geek Games ENEM
  12. Wattpad
  13. AppDetox
  14. Rescue Time
  15. Instapaper
  16. Ortografa
  17. Pomodoro Time

Dica Bônus

Siga essas dicas em um ambiente favorável!

Descubra os apps para estudar melhor!

A internet, como você deve desconfiar, está repleta de opções de aplicativos para estudo. Até dá para sair pescando dicas por aí, mas neste conteúdo, você encontrará uma “listinha” completa.

Desde app para se organizar, para estudar outras línguas, para se concentrar… confira você mesmo.

1. Trello

O Trello é uma plataforma em que você consegue estruturar atividades e as diversas etapas de estudo. E organizar tudo em um calendário. 

Então, você consegue definir prioridades, estipular prazos e acompanhar todos direto do computador ou do celular. De forma muito orgânica e prática.

2. Asana

Outra ferramenta bem simples para se organizar. Suas funcionalidades são bem parecidas com o Trello, então, ele é uma ferramenta opcional ao primeiro. 

O Asana deixa seu dia mais produtivo e capaz de te manter sempre por dentro do que precisa ser estudado no dia. 

3. EasilyDo

Se você quer um app para estudar incrível e que consegue te dar um panorama total de sua rotina, conheça o EasilyDo. 

Ele analisa seus email, calendário, redes sociais e organiza todas as suas tarefas em um só lugar. Compatível, claro, com desktop e dispositivos móveis. 

4. Aprovado

O nome dá um spoiler do que se trata, não é? 

Pois o Aprovado é o app que deixa sua vida mais fácil em meio a tantas coisas a se ler, reler, revisar e ficar melhor preparado para a prova.

Com ele, você consegue criar um cronograma de estudo, selecionando temas e matérias. Ele monitora o tempo despendido para cada matéria que lê. 

Ou seja, você pode medir sua produtividade de maneira completa e analisar quais são os conteúdos que mais merecem sua atenção!

5. Evernote

“Caderno Virtual” é uma definição certeira para o Evernote. 

Ele te ajuda a organizar e registrar o que estuda, criando um caderno de anotações das mais variadas matérias que você se dedica. 

Você pode inserir áudios, imagens, vídeos, slides. Tudo, mesmo, para concentrar o que aprende em um só lugar. E acessar quando quiser!

6. Mecflix

Esse nome te lembra algo?

Podemos dizer que não é mera coincidência, afinal o Mecflix é uma plataforma de vídeos voltados ao estudo. 

Os conteúdos são dos mais variados e englobam também diferentes públicos, desde pessoas que estão no ensino médio a aqueles que pretendem passar em concurso. 

7. Quiz Up

Que tal testar o conhecimento que tem aprendido na sua rotina com quizzes bem divertidos? 

O Quiz UP é app dinâmico em que você pode estudar e relaxar. Você escolhe as matérias e joga com outros usuários, on-line. Um tempo é determinado para responder cada questão e, a partir dele, você ganha pontos e entra em um ranking.

Isso é capaz de medir a quantas anda seu aprendizado e fixa melhor alguns temas em seu cérebro.  

Só cuidado: o app tem outros temas que não estão relacionados a estudo. Então, se quiser testar seu conhecimento em séries, tudo bem. Mas faça isso nos momentos de pausa! 

8. Flipboard

Muitas provas cobram temas sobre atualidade. E quem está aqui para estudar melhor para realizar o ENEM sabe bem disso. 

E dentre os apps para estudar existe aquele que te mantém informado sobre as notícias do momento. Estamos falando Flipboard.

Imagine uma revista na palma da mão em que você encontra manchetes de todos os tipos de canais de informação?

É claro que você consegue selecionar temas, o que ajuda a filtrar o que chega em seu feed. 

9. Issuu 

O Issuu é uma plataforma que te dá acesso a livros e revistas digitais. Dos mais variados, desde as mais famosas publicações aos mais independentes. 

A plataforma é muito popular, o que significa que existem muitas publicações por lá. E é simples: ela tem um design convidativo e suas ferramentas são bem práticas. 

O app está disponível para desktop e dispositivos móveis, então você pode usá-lo da maneira que quiser. E onde quiser. 

10. Duolingo

Já o Duolingo é perfeito para quem precisa estudar outra língua. De maneira bem divertida e dinâmica, você consegue aprender quase que brincando. 

O app divide temas aplicados em exercícios de tradução, escrita, escuta e fala. E não apenas para o inglês: é possível estudar também espanhol, francês, italiano e alemão. 

11. Geek Games Enem

Como não poderia deixar de ser, o Geek Games Enem é próprio para o Exame Nacional do Ensino Médio. 

Ele seleciona lista de exercícios e simulados. Estabelece um plano de estudo para você e ainda te fornece um relatório de desempenho. 

Tudo isso de maneira personalizada, pois, graças aos exercícios que você for realizando, o app consegue te traçar um perfil e selecionar as melhores estratégias baseado nessas informações! 

12. Wattpad

Se você precisa de acesso a livros para estudos, fica aqui a dica para o Wattpad. 

Com ele, você encontra obras das mais clássicas até as mais modernas, variando também de temas e estilos. 

Essa seleção poupa um bom tempo que você poderia levar para procurar esses livros em outras plataformas. 

O app é gratuito e disponível em IOS e Android. 

13. AppDetox 

Seu problema é estabelecer o foco? O celular é um gatilho para se distrair? Tem app para te ajudar com isso também.

É o AppDetox, que mensura o tempo que você gasta usando o aparelho e, mais que isso, te mostra quais são os apps que você mais utilizou. 

Ele ainda permite que você crie um limite de uso desses apps que você utiliza muito, te alertando sempre que exceder. 

14. Rescue time

Se você tem problemas em encaixar seus estudos na rotina e dá desculpas que não tem mais tempo, o Rescue time te mostrará que você está errado. 

Isso porque ele mostra quanto tempo você passou em sites “desnecessários”. E olha, você terá uma grande surpresa quando descobrir esses dados. 

Graças a essa amostragem, o Rescue time é um ótimo app para estudar, já que ele te dá a possibilidade de otimizar tempo. Então, sua produtividade será maior!

15. Instapaper

O acúmulo de matérias para ler acarreta, muitas vezes, com que você simplesmente não leia certos conteúdos. 

O Instapaper te ajuda a organizar melhor esses materiais porque salva tudo o que você disser que “lerá depois”.

E quando a gente fala de tudo, é tudo mesmo: desde posts nas redes sociais até aos artigos mais interessantes que você encontrou na internet. 

E por ser um app próprio para celular, significa que você pode acessar esse material onde e quando quiser.  

16. Ortografa

Português não é uma matéria fácil. As regras, com mais exceções do que regra de fato, detalhes de vírgula que só o Professor Pasquale pra salvar, nem sempre tornam os estudos dos mais animadores…

Mas o famoso professor não estará ao alcance de sua mão quando precisar. O Ortografa, sim! 

O app indica as correções mais adequadas a serem feitas em uma frase que você indicar. Ela leva em consideração as mais variadas regras de nossa língua, inclusive com o Acordo de Nova Ortografia da Língua Portuguesa que entrou em vigor ao longo dos últimos anos. 

17. Pomodoro time

Dizem que tempo é dinheiro, mas para você que procura se dedicar mais aos estudos, tempo é material para aprender!

E a técnica Pomodoro é um dos mais famosos métodos de produtividade que existe hoje. Tanto que há um app próprio para ela. 

O Pomodoro Time ajuda a determinar e marcar o tempo que você precisa dedicar à determinada atividade, intercalada com períodos de descanso, claro. 

A dica é aproveitar todos esses momentos com dedicação ao que se faz. Use o tempo de estudo para poder ler o que precisa. E os de momento de descanso, para, de fato, se desligar um pouco. Afinal, isso é fundamental para seu cérebro. E para você, claro! 

Dica Bônus

17 dicas de apps para estudar é muita dica, não é?

Mas a gente ainda pode te ajudar mais. Na verdade com uma sugestão ideal para você que lida com uma rotina frenética de estudos e atividades para realizar. 

Daily Yoga

Se você gosta de estudar e praticar meditação, o app é ideal para você. 

Dos mais básicos ao mais avançados, você encontra uma lista de 500 postura para praticar. Ele te indica tempo e quais são as aulas que você pode acompanhar.

É claro que yoga não é um estudo próprio para quem quer estudar para provas e passar em concurso, mas um momento de descompressão e de “desligamento” dos estudos, pode fazer bem para todo o seu corpo. 

Siga essas dicas em um ambiente favorável!

Certamente sua rotina é muito atribulada e esses apps para estudar serão ferramentas que te ajudarão bastante.

Mas, lembre-se que outras atividades são necessárias nessa rotina como a prática de exercícios físicos, alimentação balanceada e hidratação. 

Seu corpo é uma máquina perfeita, mas ele requer cuidados. Ser produtivo e efetivo nos estudos e em toda a sua rotina pode ser desgastante e, em determinado momento, seu aprendizado será comprometido porque sua saúde está comprometida. 

E outra dica fundamental para além dos apps para estudar é ter um canto para chamar de seu. Um lugar em casa que, quando você está nele, é porque você está se dedicando a estudar. 

Por isso mesmo, leia mais a respeito sobre ambiente de estudos, como organizar um e como ele é fundamental para a sua produtividade. Você verá como esse espaço pode fazer diferença na sua rotina!

Curtiu as nossas dicas? Usa algum app que faz diferença no seu dia a dia e que não listamos acima? Deixe seu comentário e compartilhe o conteúdo com quem precisa também dessas dicas! 😉 


  • Pedro Soares
    Pedro Soares

    Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!


Pedro Soares
Pedro Soares

Pedro é estudante de Administração e atua nos times de Marketing e Comercial do Clipping!