Estudando a Lei Seca: Dicas para otimizar o estudo das leis para concursos

  • Hugo de Freitas
    Hugo de Freitas
    24/12/2018 . 7 min de leitura
como estudar a lei seca passo a passo hugo de freitas hugo concurseiro

Não importa para qual concurso você está se preparando, provavelmente você terá que se debruçar sobre os textos normativos do jeito que eles são publicados pelos legisladores. Sim, estou falando da “lei seca”. É como nos referimos comumente à legislação pura e simples da maneira que se encontra nos sites dos órgãos governamentais. Ler a Constituição Federal, por exemplo, é ler a “lei seca”, é o texto em sua íntegra.

Em muitas provas, principalmente as de nível médio, o estudo da lei seca já é suficiente para acertar a maior parte das questões. Em provas de nível superior isso não é muito diferente pois a legislação é a base da pirâmide, por isso é muito importante ter uma estratégia para otimizar a leitura, a marcação e a revisão do conteúdo referente às leis. É o que vamos fazer no post de hoje.

Como otimizar os estudos da Lei Seca

O primeiro passo para iniciar os estudos é buscar o texto legal na fonte, que pode ser o próprio site do órgão para o qual você estuda ou o mais comum, pelo site do Planalto. E aqui vai a primeira grande dica: formate-o!

A legislação do modo como está publicada é péssima para a leitura. O texto é desorganizado, os artigos vetados ficam evidentes, os hyperlinks clamam por atenção em sua cor azul e o texto preenche horizontalmente toda a tela.
Resumindo: não é nada agradável.

Lei seca como estudar

Formate o texto para facilitar a leitura

Então a sugestão é que você copie esse texto e jogue em seu editor, seja o Writer ou Word, e comece a formatá-lo.

Eu particularmente sugiro que você edite da seguinte maneira:

  1. Justifique todo o texto;
  2. Remova os hiperlinks;
  3. Formate o texto em duas colunas.

como estudar a lei seca

Essa seria a formatação básica. Você pode ainda alterar o nome e tamanho da fonte, adicionar margens, número de página e criar índices se for compilar várias leis em um único documento.

Você pode estar se perguntando: “Hugo, mas isso não leva um certo tempo? Não dá trabalho?”.

Olha, dependendo da quantidade de leis que você precisa estudar, talvez você leve um tempinho para organizar tudo mas lembra da frase do Abraham Lincoln que citei no último post?

Se tivesse seis horas para derrubar uma árvore, eu passaria as primeiras quatro horas afiando o machado.

Lembre- se que quando estamos falando em organização, não existe o termo “perda de tempo”.

Agora que você tem em mãos uma legislação personalizada e visualmente agradável é hora de efetivamente estudar e também existem algumas técnicas que eu utilizo para ler a lei seca e tirar o máximo de aproveitamento possível da sessão de estudos. Eu costumo separar o estudo da lei em três momentos distintos. Vamos falar um pouco sobre cada um deles.

1º momento: leitura da lei

Leia sem medo. Nessa primeira etapa não se preocupe em entender tudo, gravar os prazos, o vocabulário, o número dos artigos. Apenas leia todo o texto sem fazer quaisquer marcações, grifos ou comentários. Esse primeiro contato com o texto legal vai lhe introduzir à disciplina, então tente ler tudo sem maiores preocupações. É realmente uma leitura superficial para você se familiarizar com a estrutura da legislação, os tópicos e do que ela está falando.

Eu também recomendo que ao final de cada etapa você faça uma bateria de questões.

São as questões que irão lhe revelar o que é mais incidente em provas, o que deve ser memorizado e quais assuntos possuem uma maior relevância.

2º momento: hora de grifar

Na segunda leitura já é preciso um pouco mais de atenção. Agora é a hora de grifar.

Você concorda comigo que não faz sentido usar o marca-texto sem antes ter lido a legislação inteira e respondido algumas questões? Afinal você ainda não sabe o que cai em prova e quais artigos são mais importantes do que os outros tratando-se de provas de concurso. Por isso eu utilizo os grifos e marcações apenas nessa etapa.

💡 Quando você grifa todo o seu material, é a mesma coisa de não ter nada grifado, por isso é importante que você não saia marcando tudo desesperadamente. É preciso algum critério para se orientar, seja por cor ou qualquer outra técnica. A ideia é destacar pequenos trechos que sirvam de “gatilhos mentais” para seu estudo, ou seja, lendo alguns trechos você é capaz de lembrar o tópico estudado.

lei seca como estudar segundo momento grifando

Eu utilizo uma estratégia para fazer a marcação na lei seca apenas marcando palavras-chave e utilizando três cores. Eu utilizo:

  • uma cor para as “keywords”,
  • uma cor para prazos e
  • uma terceira para marcar o que eu chamo de “PQ”.

O que é PQ?

O “PQ” é a Provável Questão e eu sinalizo os artigos que acredito que podem estar na minha prova. Isso fortalece meu cérebro a ficar em sinal de alerta e dar uma maior importância para onde está grifado. Esse é o objetivo do grifo: destacar trechos do texto que seu cérebro precisa dar uma atenção maior.

Se você quer saber um pouco mais sobre o uso do marca-texto, eu tenho um vídeo onde comento tudo sobre a utilização dessa ferramenta:

3º momento: faça o seu material para revisão

Ter um material de revisão é fundamental quando estamos estudando para concursos e é nessa etapa que a produção começa.

Eu sou adepto aos resumos, principalmente os digitais, e pra mim é uma das melhores formas de fixação de conteúdo e de revisão. Você pode saber mais sobre como eu organizo e produzo meus resumos aqui:

Aqui fica a seu critério. Você pode produzir mapas mentais, resumos ou flash cards, use o método que você está familiarizado. O importante é começar a compilar o que você mais considerou importante até agora, por isso eu separo essa etapa por último pois pressupõe que nesse momento você já leu a lei seca pelo menos duas vezes e respondeu inúmeras questões.

O ilustre Professor Pierluigi Piazzi dizia ao se referir ao estudo ativo:

Nunca estude sem ter um lápis em atividade sobre um pedaço de papel.

O que é estudo ativo?

O estudo ativo é onde o estudante realmente está se envolvendo com o conteúdo, ou seja, ele está rabiscando, desenhando, anotando, recitando ou resumindo. Estudos científicos afirmam que a aprendizagem ativa facilita a memorização de longo prazo e torna o aprendizado mais rápido.

Em outras palavras, ter o seu próprio material é de extrema importância tanto para a revisão posterior, como para otimizar o processo de aprendizado.

Preparado?

Não subestime a relevância da legislação em sua prova. Espero que com essas dicas você possa encarar o estudo da lei seca de forma mais proativa e aumente a sua produtividade e porcentagem de acertos em questões de prova.

Agora eu fico no aguardo dos comentários de vocês. Como você estuda a lei seca? Tem facilidade em memorizá-la? Acha um estudo muito monótono? Compartilhe seus pensamentos aqui embaixo e a gente se fala em breve. Um abraço.


  • Hugo de Freitas
    Hugo de Freitas

    Hugo é arquiteto e concurseiro. Compartilha sua jornada, seus desafios e as lições que aprendeu - e continua aprendendo - estudando para concursos públicos no Insta e no Youtube 🏅Aprovaçoes: TJ-SP Capital, TJ-SP Interior e MPU Instagram: @HugoConcursos I Youtube: @Hugo de Freitas YouTube: https://www.youtube.com/user/hug0freit4s


Hugo de Freitas
Hugo de Freitas

Hugo é arquiteto e concurseiro. Compartilha sua jornada, seus desafios e as lições que aprendeu - e continua aprendendo - estudando para concursos públicos no Insta e no Youtube 🏅Aprovaçoes: TJ-SP Capital, TJ-SP Interior e MPU Instagram: @HugoConcursos I Youtube: @Hugo de Freitas YouTube: https://www.youtube.com/user/hug0freit4s

Mais Ferramentas
Conteúdo